Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

26/11/2013 - Revista INCorporativa Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Cartões pré-pagos podem ajudar a reduzir fraudes online

Por: Grace Cunha

Os cartões pré-pagos podem ser a solução para ajudar a driblar os crescentes índices de fraudes online. De acordo com pesquisa da CyberSource, os lojistas brasileiros rejeitaram cerca de 7,1% dos pedidos de compra no primeiro semestre de 2013.

Os cartões pré-pagos podem ser a solução para ajudar a driblar os crescentes índices de fraudes online. De acordo com pesquisa da CyberSource, os lojistas brasileiros rejeitaram cerca de 7,1% dos pedidos de compra no primeiro semestre de 2013. Em 2012, esse percentual foi de 5,6%. Nos EUA e Canadá, esse índice foi de 2,7% em 2013, ante 2,5% em 2012.

O alvo dos fraudadores são os cartões de crédito e de débito que permitem acesso a valores elevados para a realização de transações online.

“Como um cartão pré-pago tem um valor financeiro previamente definido, normalmente muito menor do que os limites de cartões de crédito ou saldos de contas correntes, ele se torna menos interessante como alvo de eventuais fraudadores”, explica Antonio Jorge de Castro Bueno, presidente do GSPP-Grupo Setorial de Pré-Pagos, que reúne as empresas não financeiras que atuam nesse segmento. Recentemente, Visa e a Agilitas lançaram cartões pré-pagos para compras via internet. “Além dos cartões para uso em redes abertas, que podem ser usados em todo tipo de estabelecimento virtual, há uma enorme oportunidade para os varejistas que optarem pelo lançamento de cartões próprios”, completa.

O uso dos pré-pagos é uma tendência crescente no Brasil. Segundo o GSPP, o pagamento com esta nova modalidade de cartão poderá chegar a R$ 117,0 bilhões no Brasil em 2017, um aumento considerável em relação aos R$ 84,6 bilhões transacionados em 2012. “A segurança na preservação dos dados do usuário certamente fará com que os pré-pagos tenham um peso cada vez maior no faturamento do comércio eletrônico”, prevê Bueno. Segundo dados do E-bit, o faturamento desse mercado, que foi de R$ 10,6 bilhões em 2009, passou para R$ 18,7 bilhões em 2011 e deve atingir R$ 28 bilhões no final desse ano.

Como funciona – Os cartões pré-pagos podem ser abertos (open loop), ou seja, aceitos em vários estabelecimentos, ou fechados (closed loop), quando só podem ser usados em determinada rede, como os gift cards. Nos dois casos, eles recebem uma quantidade de dinheiro que pode ser usada em compras na internet ou no mundo real. No caso do cartão de uso em uma única rede, há a vantagem adicional de que cada cartão pode ser usado em uma compra, eliminando o armazenamento e o hackeamento de dados.

Sobre o GSPP - Criado em 2009, o GSPP é uma organização corporativa sem fins lucrativos que reúne empresas não financeiras e profissionais que trabalham com soluções de sistemas pré-pagos: companhias voltadas ao setor do varejo, com aplicações de cartões-presente, corporações de setores relacionados ao PAT (Programa de Alimentação do Trabalhador), com processadores e emissores de cartões de vales-eletrônicos, cartões de fidelização, sistemas de pré-pagos de telecomunicação, serviços, emissores, processadores e “program-managers”. O principal objetivo da entidade é fomentar a atividade no Brasil, trabalhando de forma articulada e propositiva para superar os obstáculos existentes e criar as condições para o fortalecimento do setor. Para tanto, atualmente o GSPP foca suas atividades em três temas: regulamentação do setor, modelos de negócios e informação ao consumidor.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 170 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal