Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

26/11/2013 - G1 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Brasil registra 1 tentativa de fraude com identidade a cada 12 segundos

Em outubro, Serasa detectou 224 mil consultas em que dados não batiam. Quem teve documentos ou dados roubados deve registrar queixa na polícia.

Um alerta para consumidores e comerciantes: o número de fraudes com roubo de documentos de identidade bateu recorde em outubro.

Foram quase 750 tentativas de golpe por dia. Uma tentativa a cada doze segundos, um recorde desde que o levantamento começou a ser feito.

O golpe acontece quando alguém tenta se passar por outra pessoa para comprar bens ou fazer negócios. E o objetivo é sempre o mesmo: não pagar a conta.

Cheque só para quem é da casa. O empório, com mais de 30 anos, não aceita mais essa forma de pagamento. A decisão é resultado de uma grande experiência com golpistas disfarçados de clientes.

“Você nunca vai suspeitar de um senhor, né? Ele fez uma compra no final de semana. Quando foi durante a semana, ele fez uma nova compra com o mesmo talão de cheque. Depois de um tempo, quando foi depositar os cheques, a gente descobriu que os cheques eram fraudados”, conta o comerciante Ricardo Azrak.

A cada doze segundos, o comércio e o setor de serviços sofrem uma tentativa da fraude de roubo de identidade. É quando alguém se passa por outra pessoa. Para isso, usa cheques ou documentos roubados, ou somente dados como endereço, telefone, nome da mãe. O objetivo é firmar negócios ou conseguir crédito. Claro, sem nenhuma intenção de pagar a dívida.

Só em outubro, a Serasa detectou 224 mil casos de consultas em que dados cadastrais não batiam.

“Pode ser a compra de um bem físico ou um eletrodoméstico, um telefone celular, pode ser uma compra de serviço, alguém comprando um cartão de crédito, por exemplo, no seu nome, abrindo uma conta corrente no seu nome. A gente já chegou a ver casos extremos de pessoas comprando carro em nome dos consumidores “, explica a superintendente da Serasa Experian, Maria Zanforlin.

Para não cair nessa, cuidar dos documentos é fundamental. Jamais dê números de CPF ou qualquer outro dado pessoal por telefone.

“Já ligaram uma vez que queriam me fornecer não sei o quê e eu infelizmente citei. Aí eu quase apanhei em casa”, conta o aposentado Pedro Poeta. “Falei o CPF e a patroa chamou a atenção”.

A Serasa avisa que todos que tiveram os documentos ou os dados roubados devem registrar um boletim de ocorrência para se proteger no caso de golpes.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 113 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal