Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

03/12/2007 - Midiamax Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Senado paraguaio rejeita projeto que legalizava carros roubados

Por: Sopa Brasiguaia


Criticado por paraguaios e brasileiros, o projeto de lei que estenderia o prazo para a legalização dos “autos mau”, como são chamados, no Paraguai, os veículos de procedência ilegal, foi rechaçada pelo Senado paraguaio na última quinta-feira (29). Apresentado por parlamentares do Partido Pátria Querida, o projeto estabelecia 2009 como data limite para a regularização e já havia sido aprovado na Câmara dos Deputados em sua sessão de em agosto.

Após reunião com organizações de proprietários e representantes de concessionárias, Marcelo Duarte, também integrante do Pátria Querida, recomendou aos colegas senadores que votassem contra o projeto, uma vez que este fomentaria a ilegalidade, ao invés de reduzi-la.

De acordo com o jornal paraguaio ABC Color, Duarte relembrou aos parlamentares que os proprietários de veículos, cujos trâmites de importação ou registro não tenham sido concluídos, tiveram prazo suficiente para fazê-lo e, mesmo assim, preferiram permanecer na ilegalidade.

Por sua vez, Emilio Camacho, senador do Partido Encontro Nacional, argumentou que o fato de cerca de 90 mil veículos carecerem de documentação legal no Paraguai não se deve à sua origem ilegal, mas ao “caos administrativo e à corrupção que imperam no Registro Nacional Automotor”. Recusado por ampla maioria, o projeto retorna à Câmara dos Deputados para nova deliberação.

A decisão dos senadores foi aplaudida por Luis Calderón, presidente da organização não-governamental Socorro, que reúne vítimas do roubo de automóveis no país vizinho. “Nossa organização celebra que tenha prevalecido o interesse geral, a racionalidade, e não se continue premiando a ilegalidade e a informalidade. Se queremos ter um país sério e lutar contra a corrupção e as máfias, não podemos legalizar o ilegal”, afirmou.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 259 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal