Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

15/11/2013 - Jornal Cruzeiro do Sul Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Golpe do falso sequestro faz novas vítimas em Sorocaba

Por: Amilton Lourenço

Polícia Civil recebeu pelos menos 15 denúncias nos últimos 30 dias.

Nos últimos 30 dias, a Polícia Civil de Sorocaba recebeu quinze denúncias de casos de falsos sequestros seguidos de extorsão. O falso sequestro é um crime em que indivíduos ligam para a vítima dizendo que um parente está sequestrado e, a partir dessa informação, os bandidos exigem o depósito de certa quantia em dinheiro para poder "libertar o sequestrado". Somente nos últimos dois dias, mais três pessoas foram extorquidas pelos falsos sequestradores.

Na última quarta-feira, o aposentado J.L.O., 73 anos, recebeu uma ligação, por volta das 5 horas da manhã. Do outro lado da linha um indivíduo afirmou que havia sequestrado sua filha. A exigência pelo resgate foi de R$ 5 mil, que deveriam ser depositados em uma conta corrente da Caixa Econômica Federal. O bandido ainda colocou uma mulher na linha, que se passou pela filha do aposentado.
Em pânico, J.L.O. foi até a lotérica mais próxima da sua residência e fez um deposito de R$ 1 mil. Em seguida, se dirigiu à uma exigência da Caixa Econômica Federal e depois mais R$ 4 mil. Em seguida, o aposentado recebeu nova ligação e foi orientado a realizar um crédito de R$ 100 para o número de celular (21) 8199-1570 e a depositar mais R$ 1 mil na mesma conta corrente. Quando o aposentado já se preparava para realizar o crédito no telefone móvel e concretizar novo depósito, foi informado por seu genro, que sua filha estava bem e não havia sido sequestrada.

Também na quarta-feira, I.C.P., 51 anos, também foi vítima do mesmo golpe. Residente no Parque São Bento, a vítima recebeu a ligação por volta das 14h, informando o sequestro de seu filho. Os bandidos pediram um depósito de R$ 10 mil, mas a vítima informou que só tinha R$ 250. Os bandidos pediram que o valor fosse usado para fazer a recarga do celular (21) 98002-2282.
A vítima foi até o supermercado mais próximo e efetuou o crédito e quando retornou para casa, descobriu que havia caído em um golpe, já que seu filho já estava em casa em segurança.

"Mãe me pegaram em frente a escola e você tem de dar o dinheiro porque eles estão ameaçando me matar". Esta foi a frase ouvida pela comerciante C.M.S. de 42 anos, quando atendeu o telefone na última terça-feira. Neste caso, o bandido solicitou um resgate de R$ 20 mil. A comerciante negociou e conseguiu reduzir o valor para R$ 5 mil. Ela efetuou três depósitos na conta corrente passada pelos criminosos nos valores de R$ 1 mil, R$ 1,5 mil e R$ 2,5 mil.
Assim que concluiu a última operação, foi informada por seu marido que o garoto estava bem e que havia caído em um golpe.

O que fazer para evitar

Normalmente esse golpe se inicia por uma ligação a telefones residenciais. O delegado Fábio Cafisso explica que, na maioria dos casos, isso acontece porque as casas não possuem identificador de chamadas e muitas vezes, os bandidos tentam ligar de números restritos. "Ligando para residência, quem atende é uma pessoa idosa ou um funcionário da casa, aumentando a margem de obtenção de informações sobre os ocupantes da casa, se passando por um amigo, um parente ou uma empresa de telemarketing", disse o delegado.

Alguns atos são sempre repetidos nestas ligações, entre eles, como perguntar se a pessoa tem filhos, pai ou mãe e se estes se encontram em casa. E para intimidar ainda mais a vítima, eles colocam uma pessoa chorando se passando pelo parente sequestrado, forçando o interlocutor a pagar rapidamente.

De acordo com Cafisso, o criminoso usa o estado emocional da vítima para concretizar o plano. Nesse momento, conforme o delegado, a vítima sem perceber, fornece informações sobre todo o grupo familiar. Por isso é necessário ter muito cuidado e manter a calma.
O delegado alerta ainda sobre informações pessoais postadas em redes sociais. Segundo ele, nas unidades prisionais, os criminosos têm acesso a aparelhos celulares com recursos mais avançados e eles acabam vasculhando perfis diversos.
Outras orientações do delegado para prevenir falso sequestro são: Manter a calma ao atender qualquer chamada que esteja relacionada a este crime. Esta medida ajuda a reconhecer se a ligação é verdadeira ou não; alertar todos os moradores de sua residência, principalmente idosos, crianças e funcionários a não fornecerem dados pessoais, como nomes, número de quantas pessoas reside no local, telefone ou hábitos sobre os moradores da casa. Estas informações podem ser utilizadas para o criminoso conhecer sua família; ao realizar a ligação, o criminoso sempre demonstra ter pressa em finalizar as negociações; tentar estender a conversa com o suposto negociador, e enquanto isso se certifique que a suposta pessoa sequestrada esteja bem. Para isso, utilize outro telefone celular e tente localizar o mais rápido possível a pessoa indicada no sequestro; pedir algum dado ao informação particular como data de nascimento ou nome de um ente querido; certificar se o suposto sequestrado está bem e a salvo; e por último não deixar de denunciar o caso à polícia.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 153 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal