Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

12/11/2013 - Tribuna do Norte Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Polícia prende acusados de estelionato no Rio


Rio (AE) - A Polícia Civil do Rio, com o apoio de agentes de Espírito Santo, Paraná e Bahia, prendeu ontem 15 acusados de praticar 554 crimes de estelionato, além de lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Os suspeitos foram presos nos quatro Estados. De acordo com a Polícia Civil, o grupo atuava nos quatro Estados e teria movimentado cerca de R$ 40 milhões ao longo de dois anos de golpes. As vítimas seriam pequenos empresários, bancos e o poder público.

Nas investigações, a polícia quebrou o sigilo bancário de 35 empresas e 173 contas-correntes foram analisadas. Além disso, houve 36 contas bancárias analisadas e 70 mil ligações e mensagens interceptadas.

O grupo atraía os empresários com promessas de sucesso em licitações lançadas por prefeituras da Baixada Fluminense. Para participar das disputas, eles exigiam que os empresários contraíssem empréstimos bancários para elevar o capital social. Meses depois, incapazes de honrar os compromissos com os bancos, eles caíam na segunda fase do golpe: eram convencidos pelos golpistas a abrir uma nova firma e repassar a antiga, endividada, para eles. A quadrilha punha então um `laranja’ no comando da empresa corroída pelos empréstimos e aproveitava o Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) para captar ainda mais dinheiro na rede bancária. Com os novos recursos, eles atraíam mais vítimas, formando uma espécie de pirâmide do crime.

“Eles precisavam de empresas com CNPJ antigos para dar continuidade aos empréstimos e, quando essas empresas não conseguiam arcar com o valor emprestado no banco, eles colocavam um `laranja’ deles como sócio. Esses `laranjas’, na maioria das vezes, eram pessoas analfabetas”, afirmou o delegado Felipe Curi, titular da 54ª Delegacia de Polícia (DP), de Belford Roxo (Baixada Fluminense). Segundo a Polícia Civil, o líder do grupo é Rogério Manso Moreira, preso em Duque de Caxias na manhã de ontem. Parentes dele e funcionários públicos também estão entre os presos.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 222 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal