Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

04/11/2013 - Diário de Guarapuava / FolhaPress Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

É preciso coibir fraudes no seguro-desemprego, diz Mantega


SÃO PAULO, SP, 4 de novembro (Folhapress) - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou hoje que é preciso identificar se há problemas como aumento da rotatividade e de fraudes por trás da elevação dos gastos do governo com seguro-desemprego e abono salarial.
"Trata-se de identificar se essa elevação está sendo em benefício dos trabalhadores ou se por trás disso temos problemas como aumento da rotatividade ou de fraudes que possam estar sendo cometidas por alguns empresários que demitem o trabalhador para pagar por fora", disse.
"Essa questão preocupa o governo porque os gastos com essas duas modalidades vão representar R$ 47 bilhões, portanto, 1% do PIB", acrescentou.
O governo, no entanto, não sabe qual o tamanho da fraude. "Não sabemos qual a magnitude [da fraude]. É preciso analisar e coibir essa prática", disse hoje.
A declaração foi dada após reunião com líderes das centrais sindicais para discutir projeto do governo de tornar obrigatória a realização de curso de qualificação profissional no primeiro pedido de seguro-desemprego.
Pela atual regra, o curso é obrigatório quando o trabalhador solicita o benefício pela segunda vez em um prazo de dez anos.
O encontro terminou sem acordo e uma nova reunião está marcada para a quinta-feira (7).
Na semana passada, o ministro havia dito que muitas empresas demitem seus funcionários, mas os mantém trabalhando, numa fraude para pagar salários menores enquanto os profissionais recebem o benefícios do governo.
Mantega acredita que, com a obrigatoriedade do curso de qualificação, essa fraude não poderá mais ser realizada, pois o trabalhador não estará disponível para continuar na empresa.
Para Vagner Freitas, presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores), a discussão sobre os gastos deve abordar outros pontos.
"Essa discussão [sobre os custo do seguro-desemprego e do abono] não pode ser isolada. Achamos que é preciso controlar a rotatividade, acabar com o trabalho informal, cuidar das contas do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) e discutir o fim do fator previdenciário -criado para desestimular a aposentadoria precoce no país", disse Freitas.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 109 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal