Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

04/11/2013 - Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Possível fraude de medicamentos causa rombo milionário em Uberaba

Comissão da Secretaria de Saúde investiga irregularidades no fornecimento. De acordo com prefeito, todos os mandados e multas somam R$ 21 milhões.

Uma comissão da Secretaria de Saúde de Uberaba investiga possíveis fraudes no fornecimento de medicamentos fornecidos pelo Governo Municipal por meio de ordem judicial. Pessoas que não precisam mais do remédio, segundo a comissão, continuam recebendo os medicamentos. A comissão ainda está investigando qual o destino dos medicamentos que, segundo o levantamento, provocou um rombo milionário nos cofres públicos.

A fraude foi descoberta por uma comissão formada por advogados e técnicos da secretaria de Saúde. Segundo o controlador do município, Marcos Jamal, as principais irregularidades estão relacionadas ao fornecimento de dietas especiais, como leite sem lactose. “Destes, de 60% a 70% estão sem a real necessidade. Isto tem sido informado para o judiciário para que cesse o fornecimento deste medicamento”, explicou.

A comissão ainda está investigando qual o destino dos medicamentos solicitados via justiça sem necessidade. No início deste ano eram quase 600 processos. Com a análise dos casos, a Prefeitura já conseguiu reduzir para 115 mandados judiciais.

Fora o gasto com a compra dos remédios, o atraso no fornecimento gera multas para município. O levantamento mostra que nos últimos dois anos houve um rombo milionário nos cofres da Prefeitura, de acordo com o prefeito Paulo Piau. “Se formos somar todos os mandados judiciais e as multas que foram estabelecidas dá em torno de R$ 21 milhões. Estão roubando o dinheiro do Sistema Único de Saúde (SUS), usando a Justiça. Não quero generalizar maus advogados que fazem uso desta prática, roubando o dinheiro do SUS”, explicou.

A dona de casa Alaíde Campos é avó de uma menina, que há cinco anos recebe do município seis latas de leite sem lactose por mês. Cada um custa aproximadamente R$ 54. O problema, segundo ela, é que o produto é indicado para bebês e a menina já tem seis anos. A avó diz que vai levar a neta para uma nova avaliação médica. “Já marquei consulta para ver se acancela. Está difícil, inclusive, conseguir receita para pegar o leite. E como ela tem melhorado, o que for possível farei para cancelar”, afirmou.

Estão roubando o dinheiro do Sistema Único de Saúde (SUS), usando a própria Justiça"Prefeiro de Uberaba, Paulo PiauO caso mais surpreendente é o de uma mulher que, segundo a certidão de óbito, faleceu no dia 22 de novembro de 2009. No entanto, em um documento do dia 8 do mês passado, uma juíza deferiu o pedido de liminar para fornecimento de medicamentos à mulher. Em outro documento, um advogado informou à Justiça que o município não estava cumprindo com a obrigação de fornecer os remédios em 4 de outubro de 2013, quase quatro anos depois da morte.

A equipe de reportagem do MGTV foi à casa da filha da mulher citada no processo, mas ela não quis gravar entrevista. Ela forneceu à Prefeitura uma declaração que comprova ter informado ao advogado, sobre o falecimento da mãe e que não sabia da renovação do pedido de remédios via justiça.

No caso da mulher falecida, a lista de medicamentos que a prefeitura deveria fornecer mensalmente inclui fraldas e suplementos alimentares. “Chocou ter de cumprir um mando judicial de pessoas que não precisavam de medicamento, que tinha falecido. E advogado com aval de juiz determinar que comprássemos o medicamento", disse.

O secretário de Saúde, Fahim Sawan, afirmou que lamenta a fraude. “Quantas vezes não fui oficializado a cumprir o mandado e nos esforçamos, pois sabemos que temos que cumprir. Mas sabemos que muitos destes medicamentos e destes atendimentos foram desviados. Impossibilitando de atender a quem realmente precisa”, ressaltou.

O Procurador do município, Paulo Salge, confirmou que as providências estão sendo tomadas. "Chegou ao conhecimento da Procuradoria que eu reputo de grave e estamos produzindo um documento ao juízo da causa levando ao conhecimento estas anomalias e requerendo que sejam adotadas as providências cabíveis", concluiu.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 117 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal