Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

23/10/2013 - Bem Paraná Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Mulher rouba documentos e abre mercado em nome de outro


Policiais civis da Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas (DEDC) apreenderam, na última terça-feira (22) toda a mercadoria de um Mercado em Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba (RMC), e prenderam a responsável pelo local, que aplicava o “Golpe da Arara”.

Segundo o delegado adjunto da DEDC, Matheus Laiola, na manhã de terça, compareceu até a DEDC uma pessoa de origem simples, explicando que havia deixado seus documentos com uma mulher de 43 anos, para que vendesse sua propriedade rural. Ela teria dito a ele que era corretora de imóveis.

Depois de algum tempo, esse senhor ficou sabendo que havia sido aberto um mercado em seu nome, sem seu conhecimento e este mercado estava sendo gerenciado pela mesma mulher para quem ele havia entregue seus documentos.

Os policiais da DEDC se deslocaram para o Mercado Super Top, em Pinhais, e lá encontraram a suspeita, que se passou por proprietária do local. “Ao se identificarem como policiais, ela recuou e disse que nada sabia sobre quem seria o dono do local”, contou o delegado.

Os policiais exigiram a origem dos produtos do mercado e absolutamente nenhuma nota fiscal foi apresentada. “Havia vários produtos com prazo de validade vencido expostos à venda. Em razão disso, foi dada voz de prisão, e ela foi conduzida para a delegacia”, disse Laiola.

Toda a mercadoria também foi apreendida, já que não havia origem lícita. “Trata-se de um típico “Golpe da Arara”, em que uma empresa é criada para aplicar fraudes mercantis, lesando os fornecedores das mercadorias. O imóvel onde fica o mercado é locado e desde outubro do ano passado o aluguel não é pago. Está claro o crime de estelionato e vamos continuar investigando se há participação de outras pessoas”, afirmou Laiola.

O delegado disse que irá pedir ao Poder Judiciário de Pinhais a autorização para que as mercadorias apreendidas que ainda estão em condições de uso sejam doadas para alguma instituição de caridade.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 80 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal