Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

16/10/2013 - G1 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Polícia divulga imagens em busca de suspeito de fraude de R$ 10 milhões

Polícia pede ajuda para encontrar suspeito que trabalhava em terceirizada. Na segunda-feira (14), três envolvidos foram detidos, informou a polícia.

A polícia divulgou nesta quarta-feira (16) as imagens do quarto suspeito de participação em um esquema fraudulento que causou prejuízo de R$ 10 milhões à operadora telefônica Oi.

O homem das imagens, de prenome “Alex”, também seria funcionário de uma empresa terceirizada e trabalhava na unidade da operadora no bairro de Sussuarana.

Segundo a polícia, o funcionário era responsável por alterar os registros financeiros da empresa, utilizando recursos de tecnologia. Uma conta de R$ 200 mil, por exemplo, era reduzida para R$ 100.

A polícia solicita que qualquer informação que possa ajudar na identificação do suspeito seja encaminhada à polícia pelo Disque-Denúncia (3535-0000) e pelo telefone 3117-6109, da delegacia que investiga o caso. Não é necessário se identificar.

O esquema

De acordo com a Polícia Civil, a investigação foi iniciada em 2012 e aponta que o grupo ofereceu link de internet com alta velocidade e baixo custo para mais de 100 empresas na Bahia, mediante pagamento de propina.

O delegado Charles Leão, coordenador do Grupo Especializado de Repressão aos Crimes por Meios Eletrônicos (GME/PC), conduziu a apresentação dos presos na tarde de segunda, quando as detenções foram divulgadas. Os suspeitos presos, que têm 57, 44 e 36 anos, atuavam como técnicos.

Segundo a polícia, os três invadiam o sistema financeiro da empresa, via centrais telefônicas da Oi, e diminuíam os valores das faturas dos serviços oferecidos. Em um dos casos, diz a polícia, a conta foi reduzida de R$ 200 mil para R$ 100.

A polícia informou também que as empresas beneficiadas pelo esquema abriam pequenos provedores de internet e ofereciam o serviço para moradores das regiões próximas às suas sedes. A polícia informou também que todas as empresas envolvidas no esquema serão ouvidas e os responsáveis podem responder por lavagem de dinheiro, estelionato, formação de quadrilha, interceptação de dados e evasão fiscal.

Apenas um dos suspeitos já tinha passagem pela polícia por envolvimento em um crime semelhante, em 2007. Outro deles havia se aposentado pela empresa para qual trabalhava. Eles ficarão custodiados na carceragem da Coordenação de Polícia Interestadual (Polinter). Junto com o grupo, a polícia apreendeu diversos equipamentos tecnológicos.


Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 61 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal