Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

19/10/2013 - Rondonoticias Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

MPF denuncia representante comercial que vendia remédios falsificados

Crime de falsificação de medicamentos tem punição de 10 a 15 anos de prisão.

Rondônia: A unidade do Ministério Público Federal (MPF) em Ji-Paraná denunciou um representante comercial pelo crime de falsificação de medicamentos. Consta na denúncia feita à Justiça Federal que o réu possuía em sua casa um laboratório onde fabricava produtos de uso veterinário sem o registro ou a licença do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Em dezembro de 2012, a polícia cumpriu um mandado de busca e apreensão na casa do representante comercial e constatou que ele tinha em seu laboratório produtos de uso veterinário falsificados e adulterados, alguns de origem estrangeira, sem identificação e qualidade admitidas para a comercialização no Brasil.

O laudo de perícia criminal federal concluiu que diversos produtos químicos vinham sendo utilizados pelo réu para o manuseio, manipulação e embalagem dos produtos veterinários ilegalmente. A análise pericial comprovou que nenhum dos produtos poderia ser fabricado ou comercializado no Brasil, ou ainda importado para fins de comercialização, uma vez que não apresentam registro no Mapa ou não apresentavam em seus rótulos as informações exigidas pela legislação.

Nas embalagens dos medicamentos falsificados constava o nome de uma empresa, mas o CNPJ era de outra fabricante. Além disto, o nome e o registro profissional de um médico veterinário foi usado indevidamente como sendo o responsável.

Se for condenado, o réu pode cumprir de 10 a 15 anos de prisão, além de pagar multa.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 112 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal