Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

03/10/2013 - Brasília em Tempo Real / Folha de SP Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Investigação sobre fundos de Pensão pode apurar envolvimento de deputados

Polícia Federal pediu ao STF que abra investigação para apurar o possível envolvimento de deputados federais com o esquema de lavagem de dinheiro e desvio de recursos de fundos de pensão. São eles: Waldir Maranhão (PP-MA), David Alcolumbre (DEM-AP) e Eduardo Gomes (PSDB-TO).

Parlamentares teriam ligação com doleiro investigado por lavagem de dinheiro. Agenda e ligações telefônicas indicam pagamento de comissão a congressista tucano; caso é remetido ao STF

A Polícia Federal pediu ao STF (Supremo Tribunal Federal) que abra uma investigação para apurar o possível envolvimento de deputados federais com o esquema de lavagem de dinheiro e desvio de recursos de fundos de pensão desbaratado na Operação Miqueias.

Waldir Maranhão (PP-MA), David Alcolumbre (DEM-AP) e Eduardo Gomes (PSDB-TO) são acusados pela PF de manter algum tipo de relação com o doleiro Fayed Traboulsi, suspeito de comandar o esquema que teria desviado cerca de R$ 50 milhões.

As investigações apontam que a quadrilha oferecia vantagens indevidas a prefeitos e gestores de previdências municipais para que eles investissem em fundos suspeitos. Segundo a polícia, a organização usava modelos para atrair políticos para o esquema.

Os parlamentares citados negam envolvimento com o esquema investigado pela PF.

O tucano Eduardo Gomes está de licença da Câmara e atualmente ocupa a Secretaria de Esporte do Tocantins.

Além de conversas telefônicas de alguns congressistas com integrantes da quadrilha, a PF identificou valores lançados numa agenda de Traboulsi, o que levantou a suspeita de um suposto pagamento de comissão a Gomes.

"De fato, variados diálogos interceptados indicam um estreito vínculo dos líderes da organização criminosa com prefeitos. Em vários áudios ficou evidente que o local onde funciona a Invista Investimentos é constantemente frequentado por gestores municipais", diz o relatório da PF ao mencionar uma conversa entre Gomes e o doleiro.

No diálogo, gravado em outubro de 2012, Gomes avisa que já está chegando e que o prefeito de uma cidade do interior de Tocantins está indo em outro carro.

Apesar de destacar que, até agora, os deputados "em momento algum assumiram a posição de investigados", a PF identificou "provas" que "apontam para o possível envolvimento desses parlamentares federais com os objetivos da organização investigada", nas palavras do desembargador Cândido Ribeiro, do Tribunal Regional Federal.

Por isso, o TRF da 1ª Região determinou a remessa imediata das investigações ao STF para que o tribunal decida sobre abrir ou não a investigação em relação aos políticos, que têm foro privilegiado.

A decisão do desembargador surpreendeu tanto os policiais quanto o Ministério Público Federal, que apostavam no desmembramento da operação.

Ou seja, só seria enviada ao STF a parte referente aos deputados federais.

Além dos três deputados, há suspeita de participação de pelo menos um governador, cujo nome é mantido sob sigilo pela PF, prefeitos e servidores públicos no esquema.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 100 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal