Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

26/09/2013 - Portal Terra Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

SP: PF faz operação contra quadrilha que intermediava fraudes ao INSS

Por: Rose Mary de Souza

Escritório em Itupeva tornava possíveis fraudes para o pagamento de benefícios previdenciários ilegais; prejuízo chega a quase R$ 4 milhões.

A Polícia Federal realizou uma operação nesta quinta-feira contra uma quadrilha que intermediava fraudes ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), em Campinas (SP), a 100 quilômetros de São Paulo. A Operação Corredeira cumpre cinco mandados de busca e apreensão nas cidades paulistas de Itupeva e Cajamar, e é resultado de uma força-tarefa da PF com o Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério da Previdência Social. A quadrilha teria cometido as fraudes entre 2006 a 2013, e o prejuízo chega a quase R$ 4 milhões.

Durante a ação, foram recolhidos em escritórios de intermediadores dezenas de pastas contendo documentos, pendrives, disquetes, carteiras de trabalhos e cópias de documentos pessoais de suspeitos. Ninguém foi preso.

A delegada da Polícia Federal de Campinas, Priscila Campelo Macorin, disse que a equipe de investigação vai apurar a documentação apreendida e pode encontrar mais dados dos suspeitos de fraudar beneficios da Previdência Social. "Os próprios servidores da agência do INSS de Jundiaí suspeitaram do volume de pedidos de beneficios encaminhados a agência", falou.

Segundo as investigações, que começaram em 2011, um escritório de assessoria previdenciária de Itupeva tornava possíveis as fraudes. A quadrilha apresentava declarações falsas de composição de renda e grupo familiar, além de declarações falsas de deficiência física, para receber benefícios supostamente destinados a portadores de deficiência e idosos.

A PF apurou que o grupo operou com mais de 2,4 mil agendamentos e gerou um prejuízo de R$ 4 milhões, segundo a gerência executiva do INSS em Jundiaí (SP). Porém, o valor do rombo pode ser superior, pois não foi calculada a correção dos valores.

Os investigados são suspeitos de estelionato qualificado contra a Previdência Social. A pena para esse crime é de um a cinco anos de prisão, pena aumentada em um terço por ter sido cometida em detrimento do INSS. O nome Operação Corredeira faz referência ao nome da cidade de Itupeva, que em tupi-guarani significa "pequena cascata".

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 130 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal