Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

25/09/2013 - R7 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Diretor de penitenciária na Bahia é preso por suspeita de corrupção

Jabes Gomes Santana seria o líder de um esquema que facilitava entrada de drogas e celulares.

O diretor-adjunto do Conjunto Penal de Eunápolis, no extremo sul baiano, Jabes Gomes Santana, foi preso, na manhã desta quarta-feira (25) suspeito de liderar um grupo que cobrava dinheiro de criminosos para facilitar a entrada de telefones celulares e drogas na unidade. Junto com ele, foram detidos oito agentes penitenciários do conjunto. Eles foram indiciados por corrupção passiva e estão na delegacia do município.

De acordo com o promotor João Alves da Silva Neto, do Ministério Público em Eunápolis, as investigações sobre a atuação de Santana começaram em 2011, quando o servidor era diretor adjunto do Conjunto Penal de Teixeira de Freitas, também no sul baiano.

Segundo o promotor, o grupo cobrava R$ 1.500 por celular e R$ 2.000 por quilo de droga que entrasse no presídio.

—O levantamento preliminar indica que, apenas este ano, 60 celulares entraram na unidade pelo esquema.

Segundo Silva Neto, também recai sobre o grupo a suspeita de "permitir" homicídios dentro da unidade, mediante pagamento. A acusação foi feita por um interno da unidade, no ano passado, durante a apuração sobre o assassinato de um preso, morto por integrantes de uma quadrilha rival. De acordo com o testemunho, o grupo comandado pelo diretor adjunto teria recebido R$ 50 mil para que o detento fosse executado dentro da unidade.

O Conjunto Penal de Eunápolis, inaugurado em maio do ano passado, tem capacidade para 450 presos, mas já abrigava 580. A unidade é tida pela Seap (Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização da Bahia) como "modelo administrativo de cogestão com a iniciativa privada" e é administrada pela Reviver Administração Prisional Privada Ltda.

Segundo a Seap, a pasta havia recebido denúncias sobre a unidade, mas ainda não havia conseguido reunir provas que justificassem alguma ação. Em nota, a Reviver informou que foi instaurada uma sindicância para apurar as denúncias.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 128 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal