Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

16/09/2013 - R7 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Sudeste lidera ranking do Banco Central de falsificação de notas

São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais são os Estados com mais cédulas retidas.

A nota de R$ 100 é a mais falsificada do País com 81.215 recolhimentos da segunda família e 63.023 da antigaReprodução/Banco Central

O Sudeste é a região que lidera o ranking do BC (Banco Central) de falsificação de notas. De acordo com o levantamento, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais são os Estados com maior quantidade de cédulas retidas. Em todo o País, foram recolhidas 285.058 notas por adulteração de janeiro até o fim de agosto deste ano.

Em São Paulo, o número de notas recolhidas por adulteração chegou a 90.331, apenas as cédulas de R$ 100 antigas e da segunda família somam 59.906 notas recolhidas. No Estado não houve cédulas de R$ 1 falsificadas. A que teve a menor quantidade de adulterações foi a de R$ 10 de plástico.

No Rio de Janeiro, a nota de R$ 50 antiga é a mais falsificada (14.911), mas na somatória entre a primeira e a segunda família, a cédula de R$ 100 foi a mais recolhida, com total de 22.427 notas. Naquele Estado, houve 51.575 recolhimentos ao todo, mas não houve falsificação de R$ 1 e apenas duas notas de R$ 10 de plástico foram adulteradas.

Minas Gerais teve 21.435 notas recolhidas por adulteração neste ano. Assim como no Rio de Janeiro, em Minas a nota de R$ 50 antiga foi a mais falsificada (6.473). Mas na soma (primeira e segunda famílias), a de R$ 100 foi a mais adulterada, com 7.970 falsificações.

O Espírito Santo completa a região, mas está em 14º lugar no ranking do BC, com 2.939 notas falsificadas. Naquele Estado, apenas uma nota de R$ 10 de plástico foi recolhida. Na parte baixa do ranking estão cinco dos sete Estados da região Norte: Roraima (com 42 falsificações), Acre (139), Amapá (284), Rondônia (701) e Amazonas (1.069).

A mais falsificada

A nota de R$ 100 é a mais falsificada, segundo o levantamento do BC, com 81.215 recolhimentos da segunda família e 63.023 da antiga. Em seguida está a de R$ 50 com 65.169 da cédula antiga e 13.105 da segunda família.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 107 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal