Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

13/09/2013 - Século Diário Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Ex-prefeito de Alegre é condenado por fraude em obras de escolas municipais

Por: Nerter Samora

Caléu teria utilizado notas frias para o pagamento de R$ 47,6 mil em serviços que não foram prestados.

A juíza da 1ª Vara de Alegre (região Caparaó), Daniela Pellegrino de Freitas, condenou o ex-prefeito do município, José Carlos de Oliveira, o Caléu (PMDB), a ressarcir ao erário R$ 47,6 mil por fraudes em obras de escolas de 1º grau, em 2001. A denúncia ajuizada pelo Ministério Público Estadual (MPE) narra que o ex-prefeito teria utilizado notas frias para o pagamento por serviços superfaturados e que não foram sequer realizados pela empreiteira contratada.

Na decisão publicada nesta sexta-feira (13), a magistrada acolheu os termos de denúncia por vislumbrar a “expressa desconsideração aos princípios que regem a administração pública” no episódio. Além do ressarcimento aos cofres públicos, o ex-prefeito foi condenado à suspensão dos direitos políticos por três anos, multa civil no valor de cinco vezes a remuneração percebida na época e a proibição de contratar com o poder público pelo prazo de dez anos.

Na denúncia ajuizada em outubro de 2005, o Ministério Público acusa o ex-prefeito de ter autorizado o pagamento indevido de R$ 46,7 mil, entre março e abril de 2001, para a empresa Vetor Engenharia e Construções Ltda, que venceu a licitação para executar as obras de reforma nas creches (Carmen Pinto Nogueira da Gama, Domingos Bravo Reinoso e do Centro Integrado de Ensino de Celina – CIEC).

A promotoria sustenta que os reparos não teriam sido executados pela empresa, além da existência de superfaturamento no preço dos materiais descritos no contrato. Outro ponto levantado na denúncia é de que Caléu teria utilizado uma nota fria da empresa – expedida para outro cliente, no ano anterior – para embasar o pagamento, que não teria entrado sequer no caixa da empreiteira contratada. Uma terceira pessoa teria sido contratada para dar vazão às fraudes.

Para a juíza Daniella Pellegrino, Caléu agiu de forma dolosa (intencional) e desonesta ao autorizar os pagamentos, mesmo sem a medição das obras realizadas, como havia sido previsto em contrato. “Como se não bastasse, efetuou o pagamento de forma indevida e por serviços que não foram prestados e, ainda, superfaturados, acarretando, assim, séria lesão aos cofres públicos. [...] Demonstrado efetivamente a incompetência no desempenho das atividades funcionais do agente público”, avaliou.

Na mesma decisão, a juíza Daniela Pellegrino absolveu os responsáveis pela empresa Vetor Engenharia, que também figurava como réu na ação de improbidade. Para ela, a companhia não teve relação com as fraudes. Com base em depoimentos de testemunhas, a magistrada elucidou que as obras nas três escolas chegaram a ser realizadas, mas não com os recursos daquele contrato. “Se os pequenos reparos foram realizados, [o recurso] não sobreveio das verbas licitatórias, mas de convênio firmado entre o município e uma empresa mineradora ou mesmo por servidores da própria prefeitura”.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 150 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal