Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

13/09/2013 - TN Online / FolhaPress Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Procurador determina que Câmara continue apuração sobre fraude


BRASÍLIA, DF, 13 de setembro (Folhapress) - O procurador da República no Distrito Federal, Francisco Bastos, determinou hoje que a Polícia Legislativa da Câmara dê continuidade às investigações que comprovaram fraude na sessão do Congresso Nacional que derrubou os vetos da presidente Dilma Rousseff à lei dos royalties do petróleo.
Segundo inquérito da Polícia Legislativa, a assinatura do deputado Zoinho (PP-RJ) foi falsificada na cédula de votação.
A votação ocorreu em março, em meio a muita tensão e ânimos acirrados entre parlamentares de Estados produtores e não produtores de petróleo.
Como a investigação não conseguiu apontar o responsável pela adulteração, o comando da Câmara encaminhou no início da semana ao Ministério Público cópia do inquérito recomendando o arquivamento do caso.
Hoje, Bastos decidiu pela continuidade das investigações por até 90 dias. Ele vai recomendar, por exemplo, que os servidores que autenticaram a lista de votação sejam ouvidos.
O caso começou a ser apurado após denúncia do líder do PR na Câmara, Anthony Garotinho (RJ), apontando que Zoinho deixou o Congresso antes da votação, sem assinar qualquer lista ou documento. Zoinho afirma que seguiu para uma viagem e entregou cópia do cartão de embarque à Polícia Legislativa.
Com o fim da investigação, o presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), terá que decidir se aceita ou não o pedido do líder do PR para anular a sessão. Interlocutores de Renan sustentam que a votação não deve ser cancelada porque houve uma ampla margem pela derrubada do veto (54 dos 81 senadores e 349 dos 513 deputados). Oficialmente, Calheiros ainda não se manifestou.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 105 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal