Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FRAUDES NAS EMPRESAS

Veja aqui a programação deste importante treinamento programado para o dia 26/04 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

17/08/2013 - Mídia News Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Prefeitura prevê rombo acima de R$ 3 mi com fraude

Por: Márcio Camilo

Secretário de Fazenda reafirma rigor na investigação da Polícia Fazendária.

A fraude no sistema tributário da Prefeitura de Cuiabá, detectada no final de 2012, por meio da Operação Impostor, deflagrada pela Polícia Fazendária, pode ultrapassar os R$ 3 milhões anunciados.

A previsão é do secretário municipal de Fazenda, Guilherme Müller, ao lembrar que, depois do episódio, o prefeito Mauro Mendes determinou mais rigor na fiscalização dos recursos municipais.

E isso, segundo ele, deve levar à descoberta de mais fraudes - consequentemente, um prejuízo ainda maior aos cofres públicos.

Ele não soube estimar valores, no entanto, afirmou que a investigação é prioridade do prefeito.

"Assim que detectarmos novos desfalques, divulgaremos os valores à imprensa. Essa é uma orientação do próprio prefeito", ressaltou.

Müller também disse que, na medida em que a Polícia Civil detectar mais servidores envolvidos no esquema, a prefeitura fará novas demissões.

Até agora, já foram demitidos 10 servidores que participaram do esquema que fraudava a arrecadação de taxas e impostos.

Entenda o caso

O esquema foi desbaratado pela Polícia Civil, por meio da Operação Impostor, realizada em dezembro de 2012.

Segundo as investigações, os servidores corruptos ofereciam oito tipos de serviços fraudulentos, como baixa em dívidas tributárias e emissão de documentos falsos. As propinas cobrada variavam entre R$ 100 e R$ 5 mil.

Quando a fraude foi descoberta no final do ano passado, o prefeito Mauro Mendes disse que mais pessoas estavam envolvidas no esquema, tanto funcionários da prefeitura, como pessoas de fora.

"O valor (rombo de R$ 3 milhões) também pode ser bem superior", disse o prefeito, à época.

No total, a operação descobriu que servidores de cinco secretarias estavam envolvidos no esquema: Desenvolvimento Urbano, Meio Ambiente, Procuradoria Geral, Fazenda e Serviços Urabanos.

O inquérito policial ainda continua sob a responsabilidade da Delegacia Especializada em Crimes contra a Fazenda Pública (Defaz), que além de apurar a responsabilidade criminal dos servidores acusados, apura o envolvimento de empresários que eram beneficiados pelo esquema, com a isenção de impostos.

Os crimes tipificados pela Defaz foram corrupção ativa e passiva, inserção de dados falsos no sistema informatizado da prefeitura e formação de quadrilha.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 58 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal