Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

28/08/2013 - G1 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Fraude de médicos em Araruama, RJ, tem repercussão nacional

Ministério Público, secretaria estadual da Saúde e polícia investigam o caso. Segundo a denúncia, médicos batiam ponto mas não faziam atendimento.

A denúncia dos médicos que batiam ponto e não trabalhavam no Hospital Regional de Araruama, Região dos Lagos do Rio, ganhou repercussão nacional. Além da sindicância aberta pela prefeitura, o Ministério Público, a secretaria estadual de Saúde e a Polícia Civil investigam o caso. A promotoria do MP está em fase de coleta de provas que vão servir de base para uma ação por improbidade administrativa. A suspeita é de que os médicos estariam atendendo em clínicas particulares, quando deveriam estar cumprindo horário na unidade regional do município.

Entre os oito médicos afastados estão o atual secretário de Saúde, Jorge Gomes de Carvalho e outros dois ex-secretários também de saúde. Um deles, Marcelo Amaral, também é vereador em Araruama. O Hospital Regional tem dez dias para apresentar os contratos dos médicos com o estado e os registros dos pontos. No dia 18 de setembro, está marcado o depoimento dos envolvidos. A ação deve ser entregue à Justiça até o fim de setembro.

A administração da unidade está sendo investigada pelo Ministério Público. O diretor, Carlos Alberto Peixoto, informou que todos os documentos solicitados estão sendo providenciados e devem ser entregues no prazo ao MP. A secretaria de Saúde do estado enviou ainda o caso para a Polícia Civil e o Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro. Segundo a secretaria, será dado amplo direito de defesa aos envolvidos e, se for constatado que os profissionais receberam sem trabalhar, serão tomadas medidas administrativas, podendo chegar até à demissão.

O vereador Marcelo Amaral disse que a denúncia não vai atrapalhar o mandato dele na Câmara e que trabalhava no sistema de sobreaviso, ou seja, fazia atendimentos no hospital para casos mais graves e apenas acompanhava os pacientes.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 68 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal