Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIFICAÇÃO DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste importante treinamento programado para o dia 16/08/2018 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

05/09/2013 - Notícias ao Minuto Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Ministério Público Juiz acusado de usar facturas falsas para receber subsídio

O juiz do Tribunal da Relação do Porto, Raul Esteves, está a ser investigado pelo Ministério Público por ter utlizado facturas falsas de modo a receber um subsídio, avança o Público. O caso foi remetido pelo Conselho Superior de Magistratura que também decidiu transformar o inquérito em processo disciplinar.

O Conselho Superior de Magistratura (CSM) passou para o Ministério Público o caso da acusação de um juiz do Porto de usar facturas falsas para a obtenção de um subsídio, atribuído pela Câmara de Cascais, enquanto presidente da Associação Portuguesa de Coleccionadores de Armas.

Além de o CSM ter remetido o caso decidiu também transformar o inquérito ao juiz do Tribunal da Relação do Porto, Raul Esteves, em processo disciplinar.

O juiz confirmou que apresentara à Câmara de Cascais facturas no valor de 145 mil euros para justificar o subsídio. No entanto, segundo o Público, a despesa feita foi de apenas 115 mil euros.

O magistrado garantiu que a autarquia estava a par de tudo, mas esta desmentiu a afirmação, tendo aberto um inquérito e exigido a devolução dos mais de 30 mil euros de diferença, e cuja despesa não foi justificada.

O subsídio destinava-se à criação de um núcleo provisório do Museu Português da Arma, no centro de Cascais, que chegou a abrir em 2009, mas fechou em Junho do ano passado. Entretanto, a Associação Portuguesa de Coleccionadores de Armas procedeu ao reembolso à Câmara.

Ao mesmo tempo, continuou a decorrer o inquérito do CSM ao juiz, presidente da associação, que agora passou a processo disciplinar, tendo a investigação sido remetida para o Ministério Público.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 142 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal