Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FRAUDES NAS EMPRESAS

Veja aqui a programação deste importante treinamento programado para o dia 26/04 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

05/09/2013 - Bom Dia Sorocaba Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Falsificações e pirataria


As justificativas são diversas. As mais comuns: não poder comprar o original, não saber que era falso, ter a percepção de que o produto real não vale o preço pedido ou, ainda, a de que não haverá qualquer tipo de punição ou penalidade na aquisição de um produto pirata ou falsificado.

Produto pirata é aquele comercializado como fruto de contrabando, enquanto o falsificado (ou “genérico”) é aquele que é cópia, de qualidade inferior, do produto original. Do ponto de vista de produção, essas práticas se instalaram de tal modo que alguns países têm parte importante de sua economia dependente dessa ação criminosa. Já do ponto de vista do consumo, toda cidade, grande ou pequena, tem lá seu bolsão de venda dessas mercadorias, que todos sabem onde fica, e que hora ou outra sofre uma intervenção policial, mais televisiva do que efetiva, posto que o comércio desses produtos está cada vez mais difícil de ser combatido.

Nesta semana, divulgamos o resultado de uma pesquisa sobre esse assunto. Perguntamos para as pessoas de nossa região se elas já compraram produtos piratas ou falsificados, e oito em cada dez pessoas afirmaram que sim. Os produtos mais adquiridos, pela ordem, foram estes: CDs e DVDs (91%), roupas e tênis (30%), bolsas (26%), óculos (25%), relógios (24%), outros (8%).

E é curioso perceber que, segundo a pesquisa, trata-se de um comportamento disseminado em todas as classes sociais e idades. De modo geral, há uma crença de que a falsificação e a pirataria só prejudicam a empresa produtora da marca original. Mas, na verdade, dados da BASCAP – Business Action to Stop Counterfeiting and Piracy (Ação Empresarial para Conter a Falsificação e a Pirataria) – estimam que essas práticas retirem da economia mundial algo próximo a um trilhão de dólares e cerca de dois milhões e meio de empregos formais, além de algumas centenas de bilhões de dólares em impostos.

Agora, verdade seja dita: apesar de ser uma prática ilegal, pelo menos em relação à garantia e à troca de mercadorias, os falsificadores vêm se mostrando muito mais eficientes do que os produtores originais. Afinal, enquanto estes últimos, nesses casos, geralmente tentam se esquivar da responsabilidade, os primeiros trocam imediatamente o(s) produto(s) – e quase sempre sem fazer qualquer pergunta.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 111 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal