Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FRAUDES NAS EMPRESAS

Veja aqui a programação deste importante treinamento programado para o dia 26/04 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

26/08/2013 - 45 Graus Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Estelionatário do PI é preso no MA e tenta subornar delegado; ofereceu R$ 4mil


Diogo Vinícius dos Santos, tem apenas de 21 anos, é de Teresina, mas é considerado, pelos policiais, um contumaz agente do estelionato em cidades do Maranhão e do Piauí.

Foi preso em Coroatá, no fim da semana passada, aplicando golpes contra idosos. Contou o delegado, Reno Cavalcante, que ele oferecia ajuda em agências bancárias, pegava o cartão, sacava a aposentadoria da pessoa, entregava o dinheiro certinho, mas o cartão magnético devolvido nunca era o mesmo.

“Ao passar o cartão ele trocava os cartões, dava o cartão vencido e ficava com o cartão da vítima, posteriormente ele fazia empréstimos nesse cartão causando graves prejuízos financeiros à vítima (…) Foi apreendido com vários cartões bancários e uma certa quantia em dinheiro, para a polícia civil está configurado o crime de estelionato”, explicou o delegado

O SUBORNO

Ele foi detido por populares depois que a vítima alarmou. Ao ficar detido na delegacia, começou a perguntar sobre o comportamento do delegado e disse que queria uma conversa particular. Reno Cavalcante já sabendo das intenções do preso, gravou tudo.

Rapidamente Diogo, achando que o delegado de Coroatá iria aceitar o suborno de nada menos que R$ 4.000,00, liga para vários comparsas pedindo dinheiro, e consegue.

Ao conseguir o dinheiro prometido pediu o número da conta da autoridade policial para que a transferência fosse feita. Reno Cavalcante disponibilizou o número bancário de uma funcionária da delegacia. Quando houve a confirmação do depósito, o delegado foi avisado pelos investigadores da delegacia e deu voz de prisão à Diogo pelo crime de corrupção ativa.

"E a gente disponibilizou uma conta do Banco do Brasil de uma funcionário da delegacia e ele fez essa transferência, nesse momento, conforme gravações, eu o autuei, dei a voz de prisão pelo crime de corrupção ativa, é um crime de natureza em grave (…) cuja pena é de 2 a 12 anos de reclusão”, disse

O dinheiro agora servirá de prova no inquérito de estelionato e corrupção ativa contra Diogo dos Santos. Para a imprensa, o delegado, Reno Cavalcante, que mostrou grande caráter e um exemplar comportamento dentro do já combalido serviço público brasileiro, falou das motivações do seu ato.

“A gente acredita que a maioria são policiais, bons policiais que trabalham no dia-a-dia para sustentar suas famílias e não precisam entrar na corrupção para usufruir de dinheiro”, concluiu.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 100 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal