Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FRAUDES NAS EMPRESAS

Veja aqui a programação deste importante treinamento programado para o dia 26/04 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

08/08/2013 - Diário do Vale Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Presa última suspeita de integrar quadrilha do falso sequestro


Se entregou na tarde hoje (8) na 93ª DP, a última integrante da quadrilha especializada em aplicar o golpe do falso. Fabíola Carmo da Silva, de 26 anos, era considerada foragida desde o dia 30 de julho, quando a polícia realizou a Operação "Cárcere Virtual", que resultou na prisão de outras cinco mulheres, sendo quatro de Volta Redonda e outra moradora do interior de São Paulo.

Contra elas havia mandados de prisão por extorsão. A operação foi realizada por agentes da 77ª DP (Icaraí), em Niterói, com apoio da 93ª DP.

A diarista Iara da Silva, de 32 anos, a gari Quênia Cristina Manoel da Silva, de 32, Camila de Paiva Rosa, de 28 anos, e Nislaine Carvalho Reis, de 30, foram presas nos bairros Padre Josimo, Vila Brasília e Belmonte.

Segundo o delegado Antônio Furtado, a maioria delas é companheira ou tinha nível de parentesco com presidiários e atuavam nos golpes movimentando e abrindo contas bancárias, onde as vítimas depositavam o dinheiro do suposto resgate. Nislaine já tinha passagem pela polícia por tráfico. Ela foi flagrada tentando entrar no complexo penitenciário de Bangu, na capital, com drogas. Fabíola, por sua vez, também tem passagem por tentar entrar no mesmo presídio com dois celulares nas partes íntimas.

As prisões foram cumpridas após um inquérito instaurado pela delegacia de Icaraí a partir de denúncias de vítimas de falsos sequestros. De acordo com a polícia, os golpes são aplicados a partir dos presídios.

- Os detentos ligam de celulares para as vítimas e as ameaçam dizendo que sequestraram familiares. Eles exigiam que um depósito em quantias que chegavam a quatro mil reais, como resgate - explicou Furtado.

Ainda segundo o policial, as mulheres eram peças-chave na aplicação dos golpes, já que os supostos resgates eram depositados nas contas delas e posteriormente administrados de acordo com as ordens dos chefes da quadrilha. Elas ainda seriam responsáveis por passar os contatos das vítimas.

O delegado Mário Luiz, responsável pela investigação, divulgou que as mulheres mantinham contato com os presos Felipe Gabriel dos Reis, Fabiano Moraes, Willian Lima de Freitas e Israel de Oliveira - todos presos em Bangu.

As mulheres já foram levadas para o Rio de Janeiro, onde as investigações continuam, e responderão por extorsão e formação de quadrilha.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 225 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal