Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FRAUDES NAS EMPRESAS

Veja aqui a programação deste importante treinamento programado para o dia 26/04 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

03/08/2013 - G1 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Delegado e cinco policiais de MT são indiciados por corrupção e extorsão

Policiais davam proteção a uma quadrilha de tráfico, segundo a polícia. Ao todo, 15 pessoas foram indiciadas suspeitas de envolvimento no esquema.

Seis policiais civis foram indiciados pela Polícia Civil por suposto envolvimento com uma quadrilha de traficantes de drogas, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá
, bem como de dar 'proteção' aos integrantes desse esquema. Um deles é o delegado João Bosco Ribeiro Barros, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), e a mulher dele Gláucia Alt, investigadora de polícia. O inquérito, conduzido pela delegada Alana Cardoso, da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), foi concluído e encaminhado à Justiça nesta sexta-feira (26). Ao todo, 15 pessoas foram indiciadas.

O delegado e a mulher foram indiciados pelos crimes de concussão [uso indevido do cargo público para obter vantagem], corrupção e associação ao tráfico, enquanto os outros quatro policiais por abuso de autoridade, concussão e extorsão mediante sequestro. Os demais devem responder por tráfico de drogas e associação ao tráfico.

Bosco foi apontado pela Polícia Civil como suspeito de dar proteção ao esquema de narcotráfico. Escutas telefônicas atestariam sua relação com membros da quadrilha, mas, em depoimento após a prisão, o delegado negou qualquer participação. Não negou, no entanto, que a voz interceptada fosse a dele, mas apontou que a conversação havia sido com uma pessoa com quem estava comercializando imóveis e automóveis.

A defesa do casal alegou também que não há provas contundentes nas investigações de que eles tinham sido beneficiados financeiramente com o tráfico de drogas. Os dois foram presos durante a 'Operação Abadom', deflagrada no mês de junho deste ano. Ele foi solto antes de completar uma semana da prisão, enquanto ela conseguiu a liberdade após 20 dias detida. Durante a operação, outros mandados de prisão foram cumpridos, mas a maioria contra suspeitos que já estavam presos.

Durante a operação, a delegada Alana Cardoso adiantou sobre os indícios de participação de outros policiais no esquema. Agora, após dar continuidade nas investigações, foi identificado envolvimento de outros quatro policiais, que foram indiciados por abuso de autoridade, concussão e extorsão mediante sequestro, recebendo suposta vantagem indevida dos traficantes para dar proteçãos às ações criminosas.

Conforme a Polícia Civil, o caso começou a ser investigado em dezembro do ano passado, depois que um homem preso com droga na rodoviária de Várzea Grande. Durante todo o período de investigação, mais de 430 quilos de droga foram apreendidos. Foram identificadas duas ocasiões em que houve extorsão, em março e maio deste ano. "Ficou constatado que houve negociação para a liberação de traficantes. Essa quantia era dividida entre outras pessoas envolvidas", afirmou a delegada.

À princípio, quando as investigações começaram, conforme a delegada, não se tinha nenhuma suspeita de envolvimento de policiais no esquema. Porém, após a prisão do segundo suspeito, em março deste ano, a polícia identificou a participação dos policiais, que se diziam da Delegacia de Repressão ao Entorpecente para extorquir um dos alvos da operação.

Droga foi apreendida em Poconé, com suspeitos de tráfico (Foto: Assessoria/PF)Com isso, a Corregedoria da Polícia Civil foi acionada para acompanhar e contribuir as investigações. Depois disso, em maio deste ano, dois distribuidores foram flagrados quando desembarcavam com mais de 400 quilos de pasta base de cocaína, em uma aeronave na MT-060, conhecida como Rodovia Transpantaneira, próximo a Poconé, a 104 quilômetros de Cuiabá, no Pantanal mato-grossense.

Outro suspeito de distribuir a droga foi identificado na semana da operação e se tratava de um servidor da Secretaria de Saúde de Cuiabá. Ele foi preso na semana passada com cerca de 6 quilos de droga. Outros suspeitos de integrar o esquema foram presos no decorrer das investigações por associação ao tráfico e tráfico de droga.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 146 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal