Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIFICAÇÃO DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste importante treinamento programado para o dia 16/08/2018 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

05/08/2013 - G1 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Ganhador da Mega-Sena no RS vira vítima de fraude após ser indiciado

Por: Felipe Truda

Caso aconteceu após prêmio de R$ 119 milhões sair em Fontoura Xavier. 12 foram acusados de coagir vencedor a concordar com versão fraudulenta.

Um homem que chegou a ser indiciado por fraude na Mega-Sena agora é tratado como vítima em uma denúncia acolhida pela Justiça do Rio Grande do Sul. Segundo o Ministério Público, ele foi o legítimo ganhador do prêmio de R$ 119 milhões em 2010, em Fontoura Xavier, no Norte do estado. Um grupo de 12 pessoas detentoras de altos cargos na prefeitura local é acusado de montar um esquema para coagir o vencedor a concordar com uma versão segundo a qual ele seria autor da irregularidade.

Responsável pela denúncia, o promotor Michael Schneider Flach, de Soledade, afirmou que o grupo de funcionários da prefeitura ingressou ainda em 2010 com uma ação contra o vencedor do prêmio. Os autores alegavam que realizaram um bolão, e o bilhete premiado foi furtado por um dos integrantes.

"A Justiça solicitou o horário da aposta, e verificou que a aposta foi realizada à tarde, em horário inverso ao informado pelos autores, e indeferiu. Eles tentaram recursos, mas não obtiveram sucesso", disse Flach.

Após a derrota na Justiça, o grupo prestou uma queixa à Polícia Civil, que indiciou o ganhador do prêmio e o suspeito de furtar o bilhete, entre outras pessoas. "Eles se organizaram, fizeram várias reuniões, contrataram profissionais para representá-los, procuraram ter acesso e procuraram o integrante do bolão acusado de subtrair o bilhete para que, de alguma forma, ele ficasse com uma parcela do prêmio. Se ele não concordasse, levariam a acusação adiante", explicou Flach.

De acordo com o promotor, os depoimentos que o ganhador da loteria deu quando era investigado provam que ele era o dono do prêmio. "Foram duas investigações e mais um processo cível que apontaram improcedência entre o horário da compra alegado pelos autores. E o horário que consta nos autos bate exatamente com o informado pelo vencedor. Além disso, a aposta foi paga com cheque, e por isso o dono da agência lotérica teve de autorizar", disse o promotor. Os 12 acusados responderão por formação de quadrilha, calúnia e coação.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 133 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal