Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

01/08/2013 - Diário do Nordeste Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Gestores acusados de fraude em Quixadá continuam foragidos

Promotoria pediu revogação da prisão temporária de duas das três pessoas já detidas.

Cerca de 24 horas após a deflagração da Operação Miragem II, que apurou fraudes na gestão pública de Quixadá, nenhum dos doze foragidos se apresentou à Justiça.

Entre os acusados de envolvimento em adulteração de documentos para encobrir fraudes em licitações, estão a primeira-dama do município, o vice-prefeito, cinco secretários municipais, quatro empresários e quatro profissionais da área jurídica.

Na quarta-feira (31/07), a Polícia Civil prendeu os empresários Gilberto Henrique Lopes de Oliveira e Marleide Quinto de Sousa, além do secretário de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Rural, Raimundo Damasceno. De acordo com o Ministério Público (MP), um vazamento de informações teria facilitado a fuga dos demais acusados,

Nesta quinta-feira (01/08), o promotor André Clark pediu a revogação da prisão temporária do secretário e da empresária, por colaboração nas investigações. Todos os detidos já foram ouvidos pelo delegado George Monteiro.

Por outro lado, o MP pediu prisão preventiva para os foragidos, o que permitiria cárcere por tempo indeterminado, mas até o momento o pedido não foi apreciado pela Justiça.

Relembre as Operações Miragem I e II

No total, 15 mandados de prisão temporária e 19 de busca e apreensão foram expedidos pela 2ª Vara da Comarca de Quixadá e executados no próprio município, além de Fortaleza, Maracanaú, Russas e Morada Nova.

Os gestores públicos e empresários de Quixadá acusados tiveram a prisão temporária (prazo de cinco dias) decretada por suposta participação na adulteração de documentos durante a investigação criminal que vinha acontecendo na Operação Miragem I.

A primeira operação ocorreu em junho e investigou supostas licitações fraudulentas, feitas de janeiro a fevereiro,que levaram à celebração de contratos com o município, no valor total de R$ 15.660.397,60.

Já a segunda operação contou com 150 policiais militares, 15 delegados e 35 viaturas da Polícia Civil. O centro administrativo da prefeitura de Quixadá foi um dos alvos dos mandados de busca e apreeensão.

De acordo com o promotor André Clark, o prefeito da cidade, João da Sapataria (PRB), não é alvo das operações, pois a investigação criminal é de competência da Procuradoria Geral da Justiça (PGJ).

Quem são os foragidos

Antônio Wellington Xavier Queiroz, vice-prefeito de Quixadá;
Jovenina Bezerra, primeira-dama e secretária municipal de Desenvolvimento Social;
Francisco Roberval Lima de Almeida, procurador do município;
Antônio de Pádua da Silva, secretário de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente;
Lívia Mara Bezerra Pinto, secretária de Saúde;
Valentim Francisco de Freitas Neto, secretario de Educação;
Maria Albeniza de Matos Lima, presidente da Comissão de Licitação do Município;
Michel Teixeira de Araújo, pregoeiro Oficial do Município;
Francisco Estênio Saraiva Maia, secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo;
Luiz Fernando Moreira de Lima, assessor jurídico
Raimundo Vicente Sá Oliveira Arruda , empresário;
Rômulo Cézar Rodrigues Martins, empresário.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 179 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal