Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

25/07/2013 - Fatima News Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Ex-diretora de escola acusada de estelionato é condenada por enriquecimento ilícito


Gelci Ribeiro de Morais, que ocupou o cargo de diretora de uma escola municipal de Rio Brilhante (MS) em 2005, foi condenada por enriquecimento ilícito. Ela é acusada de falsificar assinaturas em cheques, desviar dinheiro púbico e dinheiro de uma Associação de Pais e Mestres (APM). Cabe recurso da decisão.

Segundo sentença proferida pelo juiz Alessandro Carlo Meliso Rodrigues, da Comarca de Rio Brilhante, as penas são: suspensão dos direitos políticos pelo prazo de oito anos, multa civil correspondente ao pagamento de duas vezes o valor da maior remuneração percebida em seu cargo à época dos fatos, devidamente corrigida pelo IGPM-FGV até a data do pagamento e juros de mora de 1% ao mês. Além de ressarcimento integral do dano causado ao município de Rio Brilhante e proibição de contratar com o Poder Público pelo prazo de dez anos.

Conforme denúncia do Ministério Público Estadual, a ex-diretora violou os deveres de honestidade e lealdade à instituição na qual exercia sua função pública. Conforme o processo, Gelci Ribeiro, valendo-se do cargo de diretora de um centro educacional, falsificou a assinatura do diretor da APM da escola e emitiu diversos cheques sem provisão de fundos em nome da APM. Foi destacado que ela se apoderou de talões de cheques da associação, relativos a convênios anteriores de contas já encerradas. Em uma das compras efetuadas foi adquirido um celular habilitado em nome da irmã da ré, em outra uma televisão e contratou a confecção de um módulo de cozinha no valor de mais de 11 mil reais.

Gelci Ribeiro foi demitida, e foi instaurado em seu desfavor inquérito policial por estelionato e também por prática de crime de falsificação de documento público, ressaltando a caracterização de atos de improbidade administrativa. Assina a ação a Promotora de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e Social, Paula da Silva Santos Volpe.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 128 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal