Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

20/07/2013 - Notícias ao Minuto Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Fraude Obras à custa do Estado à boleia de facturas inflacionadas

O dono de uma loja de Esposende e dois empresários de decoração estão acusados do crime de fraude na obtenção de subsídios, conta hoje o Jornal de Notícias (JN), adiantando que o Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação (IAPMEI) sofreu um rombo de 50 mil euros devido à burla com as facturas inflacionadas pelos arguidos.

Um empresário dono de uma loja de Esposende candidatou-se a um subsídio de incentivos a projectos de urbanismo comercial, para remodelar o seu estabelecimento, e, para não ter de fazer quaisquer gastos, recorreu a dois cúmplices, donos de uma empresa de decoração do Porto, para obter facturas inflacionadas.

O IAPMEI concedeu um subsídio de cerca de 57 mil euros, equivalente a 66,6% do montante de despesas elegíveis para a remodelação pretendida, ao dono da loja, um comerciante de 69 anos a viver em Viana do Castelo, para um projecto total de 85 mil euros.

Conta o JN que, de acordo com o Ministério Público, como o subsídio concedido era calculado consoante uma percentagem do custo total da obra, os arguidos decidiram inflacionar os valores reais para assim conseguirem um maior incentivo e remodelar a loja quase sem gastar nada.

Nesta sequência, foi feito um orçamento para o IAPMEI, no valor de 92 mil euros e um outro, com o valor real das obras orçadas em 43 mil euros.

O esquema das facturas inflacionadas acabou por ser descoberto por uma inspecção das Finanças, que enviou o caso para a Polícia Judiciária de Braga, sendo que o dono da loja e os dois empresários de decoração enfrentam agora um julgamento por burla para obtenção de subsídios no Tribunal de Braga.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 110 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal