Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

26/10/2012 - Diário da Manhã Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Falsificação de uísque é descoberta pela PM


Mais uma fábrica de adulteração de bebidas, que coloca em risco a saúde da população, é descoberta em Goiânia, desta vez uísque. No início da manhã de ontem, por volta da 6h30, Gláucio Kenedy da Silva, 39, Thaís Cristina Carneiro, 27, e uma mulher não identificada, foram abordados por policiais militares no viaduto do anel viário, próximo ao Setor Garavelo, em Aparecida de Goiânia.

Na abordagem foi encontrado um papelote de cocaína no bolso da calça de Thaís, que de imediato acusou Gláucio como dono da droga, este por sua vez, disse que o entorpecente pertencia a Thaís, e após muitas trocas de acusações, Gláucio quis por fim a discussão e tentou subornar os policiais militares oferecendo duas caixas de Uísque importado. Os policiais disseram a ele que se interessavam pelo produto e pediram para buscar as tais caixas na casa dele.

Já na residência de Gláucio, localizada na Rua W-12, quadra 34, lote 46, Residencial Itaipu, em Goiânia, os policiais militares se depararam com um “laboratório” preparado para adulteração da bebida. Gláucio comprava o produto de menor valor da marca Chanceler, retirava o líquido colocando-o em garrafas de produtos de maior valor comercial como Logan, White Horse, Chivas, Old Parr e outros. Não só Uísques eram adulterados como também vodca e cachaça.

Gláucio comprava vodca barata, retirava o líquido e abastecia garrafas de Absolut. Já as cachaças, ele colocava o líquido da Ypióca na garrafa de Jose Cuervo. Na casa do acusado foram apreendidos caixas uísque de baixa qualidade, lacres de importação falsificados, cola, funis e garrafas vazias de várias marcas de bebidas alcoólicas importadas, ao todo vinte caixas.

Os policiais militares deram voz de prisão a Gláucio e a Thaís encaminhando-os ao 20º Distrito Policial, no Setor Sudoeste. Na delegacia, Gláucio ficou detido, e Thaís após assinar o Boletim de Ocorrência por porte de entorpecente foi liberada.

O delegado titular do 20º DP, Emerson Morais de Oliveira disse à reportagem do DM que estava estudando os artigos do código civil para ver em qual enquadrava Gláucio. No entanto, como ele não foi pego, em flagrante, negociando o produto, o acusado foi interrogado e liberado. Gláucio vai responder na Justiça por adulteração de bebida, ou seja, crime contra o consumidor.

Falsificação de Cerveja na grande Goiânia

No final do mês setembro, a Polícia Civil, por meio da Delegacia do Consumidor (Decon), fechou uma fábrica de falsificação de cerveja na Rua JM-13, quadra. 44, lote 05, no Jardim das Oliveiras, em Senador Canedo, na Grande Goiânia.

Miguel Soares de Souza, 56, foi preso em flagrante. Ele confessou que adquiria cerveja de marcas mais baratas, como Polar e Glacial e substituía o rótulo e a tampa das mais caras como Skol, Antártica e Schincariol. O golpe era aplicado em bares periféricos da Capital e em Senador Canedo.

O preso adulterava as cervejas na fabriqueta montada no quintal da sua casa. O local, insalubre, armazenava dezenas de engradados, com casos vazios, uma caixa d’água, usada para a retirada dos rótulos, mesa, com recipiente com cola, usada para colar os rótulos e uma prensa, utilizada para a colocação das tampas.

Miguel foi autuado em dois artigos no 171 do Código Penal, por estelionato, e também pelo Código de Defesa do Consumidor, por vender produtos impróprios para o consumo. A pena prevista é de oito anos. No depoimento, Miguel revelou que vendia cerca de 20 engradados por mês, e também afirmou que o lucro era pequeno, uma vez que, comprava a caixa do produto mais em conta por R$ 45 e o vendia adulterado por R$ 60.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 88 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal