Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

10/07/2013 - Plenário / FaxAju Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Atual sistema eleitoral leva ao vício, à fraude, critica Valadares

Por: Eliz Moura


O povo quer trabalho, saúde, educação, mobilidade, segurança e obras.

É hora de arregaçarmos as mangas e trabalharmos. Quem fez o alerta foi o senador Antonio Carlos Valadares (PSB/SE), na manhã desta quarta-feira, 10, ao conceder entrevista a Megga FM. Sou favorável que no próximo ano venhamos a discutir a sucessão.

Este ano é arregaçar as mangas e fazer mudanças substanciais nos sistemas econômico-social do país, como no sistema político, apela, ao defender alterações imediatas no sistema eleitoral do Brasil. É lamentável que tenhamos que ir para eleição com um sistema que leva ao vício, à fraude, à desfaçatez e à corrupção. Se marcharmos, no próximo ano, para a eleição de deputado, dentro deste sistema, teremos uma eleição ilegítima, que será contestada novamente pela população.

Ele lamenta que o Congresso Nacional não tenha corrigido as distorções do atual sistema eleitoral. Se a Câmara dos Deputados e o Senado Federal não derem o recado agora para a reforma política será difícil compor um Congresso que tenha o compromisso desejado pelo povo.”

Valadares também advertiu para o risco da antecipação do embate eleitoral de 2014. Diante desta crise, o povo não quer saber de sucessão. O povo quer saber é de trabalho, é de cuidar da saúde, da educação, da mobilidade urbana,da segurança pública, de terminar as obras. O povo quer saber é disso. Melhorara qualidade de vida do cidadão.

O parlamentar entende que a antecipação do debate eleitoral se choca com osinteresses da população. Isso sim é que desgasta o político, falar emsucessão agora. É melhor deixar para o próximo ano.

Eleições 2014 - Instigado pelo radialista, o senador revela que o PSB/SE tem pré-projetos. Valadares visualiza uma composição com PMDB, que indicaria Jackson Barreto candidato a governador;PSB apresentando um nome para o cargo de vice-governador; e PT, ocupando a vaga de senador.

Logicamente, o PSB, que já teve um vice-governador, na pessoa do companheiro Belivaldo Chagas; se o PMDB indica como pré-candidato, Jackson Barreto,ao cargo de governador, o PSB vai indicar o vice. Já que o PT pedirá, sem dúvidas, a indicação ao Senado Federal. Mas esta é uma questão para o próximo ano. Por enquanto são pré-projetos. Ainda vamos sentar e discutir com todos os partidos aliados.

Plebiscito – O parlamentar avalia que se criou um estigma maligno contra o plebiscito. “O povo será ouvido naquilo que for premente, especial, importante para mudanças nos nossos costumes políticos no Brasil”, diz, acrescentando não entender o porquê dos partidos, na Câmara dos Deputados, inclusive o PMDB – partido do governo, estarem emperrando o plebiscito proposto pela presidenta da República, Dilma Rousseff (PT/RS). “Se enterra o plebiscito, faça a reforma política que já está lá há muitos”,cobrou.

Valadares reafirmou ser favorável ao plebiscito, mas também cobrou ação legislativa da Câmara e do Senado para realizar as reformas necessárias ao país. “O trabalho legislativo é aprovar projetos”. Diante da alegação política de exiguidade de tempo para realização do plebiscito visando as eleições de 2014, o senador considera viável a aprovação da nova legislação, com a possibilidade da realização do referendo para confirmação popular.

Reforma Política - Sobre as alterações na legislação eleitoral, Valadares se mostrou simpático ao relatório do deputado federal,Henrique Fontana, e defendeu algum das propostas de sua própria autoria para a reforma política, a exemplo do financiamento público de campanha e da criação das federações de partidos políticos, que têm o objetivo de promover o enxugamento das agendas partidárias; além do fim das coligações partidárias para o voto proporcional. Ele também se disse favorável ao voto distrital misto, sendo 50% dos deputados eleitos por voto direto e 50%por lista ordenada pelo partido. E lembrou o sistema de eleição belga, que apresenta uma lista ordenada pelo partido, votada em convenção, podendo ter sua ordem alterada pelo voto popular.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 106 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal