Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

14/11/2007 - A Tarde Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Golpes rendem R$ 1 milhão

Por: Cristina Santos Pita


O empresário do ramo de informática Flávio Pereira Souza, de 24 anos, foi preso em flagrante, em Santo Antônio de Jesus (a 185 km de Salvador, no Recôncavo), quando confeccionava contracheques falsos em sua residência, na Rua Justiniano Rocha Galvão, no centro da cidade. Há seis meses, ele vinha vendendo contracheques para mais de 30 pessoas, que aplicavam o golpe no comércio local.

De acordo com o coordenador da Polícia Civil, delegado Edílson Magalhães, o golpe é estimado em mais de R$ 1 milhão. “Ele forneceu mais de mil contracheques falsos e as pessoas abriam cadastros nas lojas. Com o cadastro aprovado, elas compravam de tudo, de celular a carros e motos. Mais de 20 empresas de diversos segmentos foram vítimas dos falsos clientes, já que os nomes eram fornecidos nos contracheques falsos”, disse o delegado Magalhães.

Na casa de Flávio Souza, os policiais apreenderam grande quantidade de documentos, principalmente carteiras de identidade e de trabalho, cartões de lojas, contas de energia e água, carimbos de diversas empresas, aparelhos celulares novos, um computador com impressora e scanner, e folhas de papel-contínuo, usadas para a montagem dos contracheques.

A empresa lesada, sem se dar conta do golpe, encaminhava a documentação falsa para a aprovação final, que ocorria de imediato. A operação, comandada pelo delegado Magalhães, começou quando Mateus Oliveira Santos, 19, um dos “clientes”, foi detido por policiais da 4ª Coorpin, no momento em que estava dentro de uma loja de aparelhos celulares.

Descoberta – Para comprovar a referência fornecida pelo ‘cliente’, a funcionária telefonou para a empresa que constava no contracheque usado por Mateus, e foi informada de que o cliente não era funcionário. O contracheque tinha sido falsificado com o nome dele como se trabalhasse em uma empresa de fabricação de metais e alumínio, recebendo salário de R$ 682.

Preso por tentativa de estelionato e falsificação de documentos, Mateus indicou à polícia quem fornecia os contracheques falsos, Flávio Souza, que também está preso e à disposição da Justiça. Mateus levou os policiais até a casa do Flávio, que tem uma lan house onde era procurado pelas pessoas.

“Ele cobrava R$ 50 por cada contracheque e ainda assinava as carteiras de trabalho. As pessoas abriam cadastros em lojas, onde também faziam cartões de crédito, e concessionárias da cidade. Elas faziam as compras, mas não pagavam as prestações e nem eram localizadas nos endereços fornecidos”, contou o delegado titular de Santo Antônio, Élvio Brandão.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 250 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal