Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

14/11/2007 - Comunidade News Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Justiça dos EUA libera dinheiro de lavagem de dinheiro


O secretário Nacional de Justiça, Romeu Tuma Júnior, esteve em Nova Iorque na última semana, onde recebeu um cheque de U$ 1,6 milhão, liberados pelo Tesouro norte-americano, como parte do trabalho de recuperação de ativos do Ministério da Justiça. O dinheiro foi transferido por doleiros aos Estados Unidos num esquema de lavagem que envolvia uma agência do banco Banestado em Nova Iorque.

Com isso, depois de extensas negociações que vêm sendo realizadas pela equipe do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI), o Brasil consegue de outro governo a primeira liberação de recursos enviados ilicitamente ao exterior. A repatriação foi autorizada pelo promotor-chefe do distrito de Nova Iorque, Robert Morgenthau.

Segundo o secretário Tuma, tramitam no DRCI cerca de 200 processos relacionados ao esquema Banestado. Os envios foram feitos por meio de contas CC5 (Carta Circular nº 5, do Bacen). São contas abertas no Brasil, por pessoas – físicas ou jurídicas - que moram no exterior. E também por transferências de dólar a cabo, um meio de compensação de valores entre dois países que não deixa registro no sistema bancário.

“O esquema Banestado foi a maior lavanderia de dinheiro de que se tem conhecimento no Brasil”, afirmou o secretário. “É um caso inédito de repatriação de ativos para o País e certamente apenas o início de uma série de autorizações que vamos obter junto à justiça de outros governos”.

Também para o ministro Tarso Genro é só o começo do retorno de todo um trabalho que vem sendo realizado nos últimos anos para asfixiar as organizações criminosas que atuam na lavagem de dinheiro. No caso do Banestado, trata-se do resultado de uma investigação conjunta realizada entre o Ministério da Justiça (Polícia Federal), o Ministério Público federal, a promotoria do distrito de Nova Iorque, bem como autoridades federais do estado de Nova Jersey. O DRCI auxiliou no processo de repatriação com negociações envolvendo as autoridades norte-americanas.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 247 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal