Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

05/07/2013 - Diário do Grande ABC / Agência Estado Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

MP investiga envolvimento de Argello em fraude


Uma investigação do Ministério Público e da Polícia Civil do Distrito Federal indica participação do senador Gim Argello (PTB-DF) num esquema fraudulento de concessão de bolsas de estudo. Reportagem da revista Época diz que funcionários da Fundação de Amparo à Pesquisa (FAP), órgão vinculado ao governo de Brasília e controlado pelo partido do parlamentar até o ano passado, favoreciam em processos de seleção candidatos indicados por petebistas, entre eles Argello.

Os envolvidos foram flagrados em escutas telefônicas autorizadas pela Justiça. Num dos diálogos, de 26 de outubro do ano passado, Gustavo Tamm, ex-funcionário da FAP e filiado ao PTB, citaria Argello como um dos mandantes das fraudes. "Não dá para esconder aquele esquema ali...Onde é que houve uma coisa de diferente ali? Na seleção. Quem selecionou foi a Vera, a mando do Renato, do senador", diz trecho da conversa, reproduzido por Época.

Conforme a revista, nas investigações, a polícia e o MP concluíram que o senador citado é Argello. Vera é uma funcionária da FAP e Renato, o ex-presidente do órgão, filiado ao PTB e ligado ao parlamentar.

Segundo as investigações, os funcionários da FAP orientavam os candidatos escolhidos pelo PTB a montar projetos para bolsas de pesquisa voltadas à Copa de 2014. Elas rendiam de R$ 2,5 mil a R$ 6 mil mensais. A nomeação se daria num processo de cartas marcadas. Numa planilha apreendida pela Polícia Civil, constariam nomes de beneficiados, ao lado das iniciais dos padrinhos. O deputado distrital Cristiano Araújo (PTB), aliado de Argello, seria um deles.

Afastado do cargo em setembro de 2012, o ex-presidente da FAP procurou Argello e se reuniu com ele, segundo Época, para conseguir um emprego na administração federal. Entre as opções estariam cargos no BRB, banco do governo do DF, e na Petrobrás. "Isso aí é filé demais", teria comentado Renato sobre a oportunidade na estatal.

Conforme a reportagem, a Polícia Civil indiciou dez pessoas por formação de quadrilha e fraude em licitação. A Justiça remeteu o caso ao Ministério Público, que avalia se apresenta denúncia contra os envolvidos. Se entenderem que há elementos suficientes contra Argello, os procuradores devem remeter o inquérito à Procuradoria-Geral da República (PGR), pois, como senador, ele tem foro privilegiado e só responde a processos criminais no Supremo Tribunal Federal (STF).

A assessoria de Argello negou nesta sexta envolvimento dele no caso. Segundo o gabinete, o senador não tem conhecimento do esquema e nunca conversou com os envolvidos sobre a indicação de candidatos para bolsas. A reportagem não localizou o deputado Cristiano Araújo e Renato Rezende. À revista, eles negaram participação nas irregularidades.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 89 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal