Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

30/06/2013 - TVI Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Notícia TVI: médicos confessaram falsificar receitas a troco de dinheiro

Por: Carlos Enes

E uma só farmácia lesou o SNS em mais de meio milhão, no caso do processo conhecido por «Remédio Santo».

O Ministério Público avançou com uma acusação de associação criminosa no caso do processo conhecido por «Remédio Santo». A TVI sabe que vários médicos confessaram que recebiam dinheiro para passar receitas falsas e que uma só farmácia lesou o Serviço Nacional de Saúde (SNS) em mais de meio milhão de euros.

A Polícia Judiciária (PJ) continua a tentar desmantelar outros tentáculos do «polvo» do SNS, mas já há a primeira acusação: seis médicos, sete delegados de informação médica, dois farmacêuticos, armazenistas e familiares são acusados de associação criminosa. Usaram receitas falsas para sacar quatro milhões de euros ao SNS, sustenta o DCIAP, departamento central do Ministério Público.

Vários médicos confessaram ter passado receitas falsas a troco de dinheiro, confrontados que foram com escutas e fotografias das entregas de envelopes recolhidas pela polícia. Há outras investigações em curso, com prova recolhida que poderá levar centenas de outros médicos a julgamento.

Os doentes desconheciam que o seu nome era usado nas receitas e muitas foram passadas em nome de pessoas já falecidas.

Só uma farmácia, de seu nome Vitis, é acusada de ter contribuído para um prejuízo de 537 mil euros ao serviço nacional de saúde.

A mesma embalagem de um medicamento, sem sair das farmácias, era usada várias vezes para sacar a comparticipação do Estado. Milhares de medicamentos foram desviados para exportações ilegais.

Burla qualificada e falsificação de receitas são os outros crimes imputados aos 18 arguidos. Um médico e um chefe de vendas da Bial à época dos factos encontram-se presos preventivamente. Há mais oito arguidos detidos em casa, com pulseira eletrónica.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 191 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal