Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

25/06/2013 - O Povo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Documentos de dossiê enviado ao COB para investigação da CBTKD demonstram fraude


Após o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) anunciar uma comissão para investigar irregularidades na Confederação Brasileira de Taekwondo (CBTKD), o LANCE!Net teve acesso a documentos que demonstram fraudes na entidade.

Compõem o dossiê enviado ao COB um laudo de uma consultoria que analisa as contas da CBTKD feita por um profissional que nunca trabalhou na empresa. Também consta e-mail de Valdemir José de Medeiros, que assina como coordenador de eventos, ao escritório de advocacia que atende a CBTKD. O dirigente solicita de forma irregular a alteração da data de uma licitação para adequar o processo à exigência do COB, que pede 15 dias de antecedência na publicação de editais com valor acima de R$ 8 mil. Contudo, ele teve seu pedido negado pelo escritório.Em 28 de abril de 2011, a CBTKD obteve laudo técnico da empresa de consultoria Seven, que atestou a má administração da entidade, assinado por Marcio Silmar da Silva Santos e Valcir Torres. Na ocasião, os problemas gerenciais da CBTKD se referiam ao período de gestão do sul-coreano Jung Roul Kim, que presidiu a entidade até 2010. Em 20 de março de 2012, com a gestão do presidente Carlos Fernandes consolidada, a CBTKD recebeu outro laudo, da Assistec Consultoria, desta vez com avaliação oposta, novamente com o nome Valcir Torres Vieira no documento. Em esclarecimento enviado à Federação Mineira de Taekwondo, a Assistec afirma que Valcir nunca trabalhou lá.Segundo Juliano Tomé, ex-superintendente executivo da CBTKD, os laudos teriam sido forjados por Marcio Silmar. Ele diz que Marcio não é auditor contábil e mesmo assim fez as auditorias dos exercícios fiscais de 2010 e 2011 da confederação.Ao L!Net, Marcio negou ter participação na Assistec e disse que o parecer da Seven, da qual é dono, não foi influenciado. Afirmou ainda não conhecer Fernandes antes do vínculo com a entidade do taekwondo.Marcio diz que o viu “uma vez ou outra vez” e que não são amigos. Ainda admitiu não ser formado em Contabilidade. Procurado, Fernandes não quis falar das denúncias.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 249 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal