Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

11/06/2013 - Capital News Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Bom de lábia: golpista armava dentro da cela

Por: Samira Ayub


E ele voltou. O simpático e brincalhão estelionatário Valfrido Gonçalves Filho, de 34 anos, voltou a agir. Só que desta vez, aplicava os golpes pelo celular e dentro do Presídio de Segurança Máxima. Segundo o delegado do 1º DP, Wellington de Oliveira, Valfrido conseguiu em torno de R$ 40 mil de seis vítimas.

Em agosto do ano passado, o estelionatário foi preso, acusado de aplicar golpes pelo telefone em funcionários de clínicas médicas. Na época, ele se passava como donos de jornais, políticos, padres, chefes de agências bancárias, bispo e pastor. Brincalhão, Valfrido conquistava as pessoas que estava do outro lado da linha e imitava as vozes para dar mais veracidade ao golpe.

Na ocasião em que foi preso, Valfrido Gonçalves detalhou como conseguia enganar as pessoas. Com muita ironia, ele contou que sempre usou da boa fé das pessoas para conseguir informações. “Tudo é premeditado, eu ligo antes, eu planejo, se não, eu não ganho”, explicou Valfrido.

“No ano passado ele atacava funcionários das clínicas médicas, agora, ele aplicava golpe nos pacientes. Dizia que o paciente precisava fazer um exame com urgência, e que o paciente poderia não sobreviver se não fizesse o exame”, informou Wellington de Oliveira.

Segundo o delegado, o estelionatário usava o mesmo procedimento do ano passado, o que mudou foi o seu endereço. Valfrido aplicava os golpes pelo celular de dentro do presídio. “Nós temos duas situações, uma que não pode ter celular nos presídios, e outra que ele deveria não ter contato com o mundo aqui fora, ter acesso a essas informações”, disse Wellington.

Valfrido Gonçalves Filho vai continuar preso, e será representada uma prisão preventiva para cada caso investigado.

Preso há quase um ano, estelionatário volta a agir, com o mesmo talento para imitar vozes

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 120 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal