Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

07/06/2013 - Expresso MT Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Processo da operação que investigou fraudes no Acre chega ao Supremo

Na quarta, ministro Fux determinou que TJ deixe de julgar ações do caso. Vice-presidente do TJ se reuniu com Joaquim Barbosa para explicar situação.

O processo da Operação G7, da Polícia Federal, chegou na tarde desta quinta-feira (6) ao Supremo Tribunal Federal (STF). Na quarta (5), o Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC) decidiu enviar o caso ao Supremo em razão do impedimento de mais da metade dos magistrados do tribunal sobre o caso, no qual a PF apura fraude em licitações no estado.

No começo de maio, o sobrinho do governador Tião Viana (PT) e um secretário do estado foram presos por suspeita de desvios que superaram R$ 4 milhões. A investigação envolveu empresários e advogados ligados a magistrados do TJ, o que levou ao impedimento de cinco magistrados para análise do tema. Dos 15 presos na operação, 14 continuam na prisão de Rio Branco.

O plenário do Supremo ainda terá que decidir se julgará ou não os processos relacionados ao tema. Ainda não foi designado relator para os mais de 40 volumes de processo que chegaram ao Supremo.

Na quarta, depois que o TJ já havia decidido enviar o caso ao STF, o ministro do Supremo Luiz Fux determinou que o tribunal do Acre deixe de analisar o tema até que o plenário se manifeste.

A reclamação que Fux analisou foi um pedido do Ministério Público Federal feito antes de o TJ decidir encaminhar o processo ao Supremo. A Procuradoria argumentou "iminente usurpação da competência do Supremo Tribunal Federal pelo Tribunal de Justiça do Acre". O pedido do MPF alegou que há envolvimento de indiciados em inquéritos com desembargadores.

O TJ do Acre é composto de 12 magistrados, sendo 10 efetivos. Cinco se declararam impedidos de participar. A decisão do TJ de mandar o caso para o Supremo foi alvo de críticas de alguns desembargadores do estado e gerou bate-boca.

Também nesta quarta, a vice-presidente do TJ do Acre, Cezarinete Angelim, se reuniu com Joaquim Barbosa para explicar o que aconteceu no estado. Ela lamentou o que aconteceu no estado. O governador do Acre, Tião Viana, também esteve em Brasília para pedir celeridade para análise do processo.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 210 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal