Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

09/11/2007 - Folha de São Paulo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Telecom Italia espionou teles brasileiras, diz revista


A Embratel, a Telefônica, a Vivo e a Telemar (Oi), além da Brasil Telecom (BrT), foram algumas das empresas no Brasil que foram investigadas entre 2003 e 2005 por então funcionários da Telecom Italia, segundo a revista italiana "L'Espresso", citando documentos obtidos por ela.
Inicialmente, acreditava-se que a suposta espionagem no país estava concentrada na Brasil Telecom, companhia na qual a Telecom Italia era acionista e em que disputava o controle com seus sócios.
De acordo com a "L'Espresso", a espionagem da operadora se estendia da Europa até a América do Sul. Entre as empresas que estariam sendo investigadas estão a britânica Vodafone e a Vivo -ambas da espanhola Telefónica, a segunda em parceria com a Portugal Telecom- e a Telmex e a Embratel (do mexicano Carlos Slim).
Slim e a Telefónica disputavam, desde 2005, a aquisição de participação na companhia italiana, que é dona da TIM no Brasil. O negócio, anunciado em abril deste ano, foi vencido pela espanhola.

Pedido de prisão

As informações obtidas pela publicação fazem parte do pedido de prisão de três ex-funcionários da operadora italiana que foram detidos na segunda-feira, em Milão. Eles seriam integrantes do "Tiger Team" (Equipe Tigre), um grupo de hackers que supostamente espionava as rivais da empresa.
Um dos detidos foi Angelo Iannone, ex-chefe de segurança da operadora italiana na América Latina. Iannone teria ordenado a espionagem de banqueiros, jornalistas, funcionários públicos e concorrentes da Telecom Italia no Brasil, segundo disse à Folha, no final de 2006, o ex-detetive Mario Bernardini, ex-colaborador da Telecom Italia e uma das principais testemunhas do caso.
Além de Iannone, foram presos o técnico em informática Alfredo Melloni e Roberto Rangoni Preatoni, filho do empresário Ernesto Preatoni. Os três são acusados de vários delitos, como associação para o crime, violação de sistemas de informática e interceptação ilegal de dados.

Disputa acionária

Segundo os investigadores, eles espionaram dirigentes da Brasil Telecom, entre 2003 e 2005, durante a disputa entre acionistas pelo controle da empresa.
De acordo com autoridades italianas, eles espionaram a ex-presidente da Brasil Telecom Carla Cico e outros dirigentes da companhia. Ainda segundo elas, também foram investigados membros da empresa de gerenciamento de riscos Kroll, do escritório de advocacia Giorgianni, que cuidava dos interesses da Brasil Telecom, e jornalistas italianos.
O controle da BrT era dividido entre fundos de pensão (maiores investidores nacionais), Citigroup (banco americano), Opportunity (do banqueiro Daniel Dantas) e a própria Telecom Italia. Os quatro sócios lutavam, desde 2001, pelo direito de administrar a Brasil Telecom, hoje controlada pelos fundos de pensão e pelo Citigroup após Dantas perder processo judicial.
A tele italiana vendeu em julho aos fundos de pensão suas ações na BrT por US$ 515 milhões.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 339 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal