Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

29/05/2013 - Económico / Lusa Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

EUA acusam Liberty Reserve de ser o "banco de referência do mundo criminal"


As autoridades federais dos EUA acusaram hoje a empresa Liberty Reserve de facilitar a lavagem de seis mil milhões de dólares através de um sistema de moeda virtual.

"A única liberdade que a Liberty Reserve oferecia era a liberdade para cometer delitos, a moeda do seu reino era o anonimato e converteu-se num famoso núcleo para os que cometem fraudes, os 'hackers' [piratas informáticos] e os traficantes", afirmou o procurador de Manhattan, Preet Bharara, na conferência de imprensa de divulgação dos resultados da investigação.

Segundo os documentos judiciais, a Liberty Reserve, com sede na Costa Rica, converteu-se no "banco de referência do mundo criminal", contando com cerca de um milhão de utilizadores em todo o mundo.

Os investigadores consideram que a plataforma financeira foi usada para branquear seis mil milhões de dólares (4,7 mil milhões de euros) através de 55 milhões de transações ilegais feitas em todo o mundo desde 2006.

Arthur Budovsky, fundador e máximo responsável da Liberty Reserve, foi detido pela polícia espanhola no aeroporto de Madrid (Barajas) na semana passada, juntamente com o marroquino Azzeddine El Amine, descrito como o seu "número dois".

Foram ainda detidas outras três pessoas na Costa Rica e em Nova Iorque, numa operação internacional em que participaram de forma coordenada forças de segurança de 17 países. Dois dos acusados permanecem em lugar incerto.

A Liberty Reserve, ao contrário de outras entidades financeiras 'online', permitia a abertura de uma conta através da mera apresentação de uma conta de correio eletrónico e a criação de perfis virtuais, facilitando as operações encobertas através da sua moeda virtual, a Liberty Reserve.

Desta forma, as contas podiam ser abertas "facilmente usando identidades falsas ou anónimas", explicaram os investigadores, acrescentando que as mesmas não deixavam rasto.

A partir da sua página na Internet, a empresa recomendava uma série de casas de câmbio que não tinham licença e operavam a partir de países com escasso controlo sobre a lavagem de dinheiro, como a Nigéria, a Malásia ou o Vietname.

Foram bloqueadas 45 contas bancárias em países como Singapura, Austrália, Chipre, Rússia ou Marrocos.

Por seu turno, o Departamento do Tesouro dos EUA anunciou hoje a inclusão da entidade financeira na sua lista de lavagem de dinheiro internacional, assinalando que a Liberty Reserve não tinha autorização para funcionar como serviço de envio de dinheiro, pese embora o grande volume de transferências realizadas.

"Continuamos decididos a proteger o sistema financeiro dos EUA de cibercriminosos e outros atores mal intencionados no espaço da Internet, incluindo as entidades estrangeiras como a Liberty Reserve que facilitam o crime através da Internet e ajudam a escapar ao escrutínio do regulador", afirmou em comunicado David Cohen, subsecretário de Terrorismo e Informação Financeira do Tesouro norte-americano.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 383 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal