Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FRAUDES NAS EMPRESAS

Veja aqui a programação deste importante treinamento programado para o dia 26/04 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

23/05/2013 - Jornal de Notícias Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Pena suspensa para mulher que burlou homem com falsas promessas de amor


O Tribunal de Póvoa de Lanhoso condenou, esta quinta-feira, a 3 anos e 4 meses de prisão, com pena suspensa, uma mulher acusada de burlar um homem em mais de 120 mil euros em troca de falsas promessas de amor.

A suspensão da pena fica sujeita ao pagamento de 40 mil euros ao arguido, em quatro prestações semestrais.

O tribunal deu como provado que o valor da burla ascendeu a pelo menos 79.709 mil euros em depósitos bancários, além de um montante "não concretamente apurado" em numerário.

No entanto, decidiu fixar a indemnização em 40 mil euros, atingindo que aquele é o montante "razoável" face à situação socioeconómica da arguida.

A arguida teve um salão de massagens em Paredes mas atualmente está desempregada, vive com uma amiga e não declara rendimentos desde, pelo menos, 2008.

O queixoso tem 57 anos e é ex-emigrante na Suíça, onde trabalhou na construção civil.

Conheceu a arguida, sete anos mais nova, através de uma agência matrimonial.

Por entre falsas promessas de amor e de uma vida a dois, a arguida disse ao queixoso que tratava de idosos e que estes lhe iriam deixar uma grande herança, mas que para isso precisava de ajuda para pagar os impostos que estavam em atraso e para pagar dívidas suas relativas a execuções.

Nas semanas seguintes, iniciaram uma relação de namoro, sendo que em todos os encontros a mulher lhe pedia quantias em dinheiro, uma situação que se manteve até setembro de 2012, quando a polícia a deteve em flagrante, na sequência de queixa apresentada pelo homem.

O queixoso já lhe tinha entregado todas as suas poupanças e esvaziado os 43 mil euros que tinha numa conta de que era cotitular com o filho.

Também já tinha pedido dinheiro emprestado a familiares e a amigos.

No total, e segundo a acusação, foram mais de 120 mil euros que "voaram" para as mãos da arguida, que entretanto até comprou um carro com o dinheiro que o "namorado" lhe ia dando.

Hoje, o tribunal decidiu dar este carro como perdido em favor do Estado, uma decisão de que a advogada do queixoso vai recorrer, considerando que a viatura lhe deveria ser entregue.

A advogada vai ainda avançar com uma ação cível para o homem ser ressarcido da diferença entre a condenação hoje fixada e o valor total da burla.

A arguida não compareceu à leitura da sentença, por alegado problema de saúde.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 73 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal