Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIFICAÇÃO DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste importante treinamento programado para o dia 16/08/2018 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

22/05/2013 - O Tempo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Golpe. Estelionatários fizeram 6.400 vítimas este ano em Minas

Por: Aline Lourenço

Em Belo Horizonte, são registradas 14 ocorrências diárias; polícia admite dificuldade de investigação.

Diz o ditado que, quando a esmola é demais, o santo desconfia. No entanto, as promessas de dinheiro fácil e outros aparentes benefícios oferecidos por estelionatários já fizeram, nos quatro primeiros meses deste ano, 6.418 vítimas em Minas Gerais, segundo dados da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds). Isso significa que, a cada dia, pelo menos 53 pessoas caíram no famoso “conto do vigário”. Em Belo Horizonte, foram 1.748 ocorrências, 14 por dia.

O chefe da Divisão de Fraudes da Polícia Civil, Vicente Ferreira, afirma que, mesmo com uma queda no número de registros – no mesmo período do ano passado, foram 64 ocorrências por dia em Minas e 18 na capital –, os dados são preocupantes, principalmente porque há uma grande subnotificação. “As vítimas se sentem envergonhadas e não fazem boletim de ocorrência. Mas a polícia é o braço da sociedade e não seus olhos. Se as pessoas não nos procuram, não temos como investigar essas quadrilhas”.

O certo é que a pouca disposição em denunciar os crimes, seja por constrangimento, medo ou sensação de impunidade, faz com que velhas artimanhas dos estelionatários passem impunes. É caso do golpe da lista telefônica. Em uma busca rápida pela internet, é possível encontrar pelo menos dez reclamações de consumidores mineiros contra os golpistas. No entanto, a Polícia Civil afirma nunca ter registrado nenhuma ocorrência dessa modalidade de crime em Minas.

Vítima. Maria Luiza Donadeli, 43, é dona de uma escola de inglês e caiu no golpe da lista telefônica. O estelionatário se apresentou como representante de uma editora dizendo que ela teria direito a publicar gratuitamente anúncios nos guias fornecidos pela empresa. Após confirmar seus dados pessoais, Maria Luiza assinou um fax que supostamente seria para validar a prestação de serviço. Na verdade, ela assinava uma confissão de dívida de R$ 12.832.

“Depois de alguns dias, uma moça me ligou dizendo que era advogada da empresa. Ela me cobrou o pagamento em 24 horas e disse que, se eu não pagasse, meu nome iria para o SPC e para Serasa. No desespero, acabei aceitando”, conta. Com medo, a empresária acabou não procurando a polícia.

O delegado do 1° Departamento da Polícia Civil, Marcelo Paladino, pede que as pessoas denunciem. “Os crimes por telefone não têm fronteiras. Para apurar, seria necessária a denúncia da vítima para que pudéssemos pedir a quebra do sigilo telefônico”.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 512 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal