Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

17/05/2013 - R7 / Agência Estado Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Chipre precisa melhorar combate à lavagem de dinheiro


O Chipre precisa aperfeiçoar a implementação de suas leis de combate à lavagem de dinheiro, afirmou nesta sexta-feira o Fundo Monetário Internacional (FMI), acrescentando que o avanço na transparência do setor financeiro do país vai melhorar sua sustentabilidade.

Em relatório sobre o Chipre, o FMI, que bancou o pacote de resgate de 10 bilhões de euros junto com a zona do euro, disse que as leis antilavagem de Nicósia precisam passar por uma nova revisão para dar impulso ao setor bancário, após a recente aprovação do primeiro desembolso para a pequena ilha do Mediterrâneo.

"Atualmente, o registro de negócios é disfuncional e a supervisão de advogados, contadores e trustes, e das empresas fornecedoras de serviços precisa ser melhorada", comentou o Fundo no documento.

Após crescer para o equivalente a oito vezes o tamanho da economia nacional, o sistema bancário do Chipre tem sido criticado por sua reputação como reduto de lavagem de dinheiro, particularmente para os russos. O governo cipriota insiste que segue leis internacionais, mas os credores do país exigem mais esforços dos cipriotas para ampliar a transparência no setor financeiro.

O relatório do FMI saiu dias depois de a Moneyval, uma agência europeia dedicada ao combate de lavagem de dinheiro, e a empresa de auditoria Deloitte destacarem as falhas do Chipre em rastrear fluxos de capital suspeitos. As avaliações, segundo resumo ao qual o The Wall Street Journal teve acesso, não encontraram "fraquezas regulatórias", mas apontaram "substanciais deficiências na implementação, pelos bancos, de medidas de prevenção à lavagem de dinheiro".

Pelos termos do programa de ajuda, o Chipre vai tomar medidas no valor de 13 bilhões de euros para reduzir seu déficit e reestruturar o sistema bancário. As medidas de austeridade incluem cortes de gastos e aumentos de impostos para empresas e consumidores. Além disso, o governo decidiu fechar o segundo maior banco do país, o Banco Popular do Chipre, e reestruturar radicalmente o maior, o Banco do Chipre, numa atitude que vai causar fortes perdas a grandes depositantes sem seguro.

Como resultado das medidas, o FMI prevê que o Chipre enfrentará uma séria recessão, com a economia encolhendo 9% ou mais este ano, o que põe em riso a sustentabilidade da dívida do país. As informações são da Dow Jones.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 102 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal