Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

11/05/2013 - O São Gonçalo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Aumenta número de fraudes

Por: Dayse Alvarenga e Josué Amador


Um levantamento feito pela empresa de consultoria de crédito Serasa Experian mostrou que ocorreram 507.546 tentativas de fraude entre janeiro e março deste ano. Segundo a pesquisa, o dado representa 5,14% a mais em relação ao mesmo período no ano passado. Do total, 39%, ou seja, 195.894 casos foram registrados no setor de telefonia. Os dados das vítimas podem ser pegos tanto de forma física quanto de forma eletrônica. Especialistas alertam que o cidadão deve ter um cuidado cada vez maior e procurar as delegacias especializadas caso seja vítima de algum crime. Uma das vítimas desse tipo de crime foi a pensionista Maria da Glória Souza da Silva, de 60 anos, moradora de São Gonçalo.

A primeira vez, em 2005, ela perdeu o cartão, e no mês seguinte se deu conta da fraude devido ao valor da fatura. Seu nome foi para o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC). Glória recorreu ao Juizado Especial Cível e conseguiu provar que não fez as compras.

Três anos depois, tornou-se vítima novamente, mas desta vez os criminosos clonaram seu cartão e gastaram mais de R$ 2 mil em um só dia. Segundo a pensionista, nesse caso, a rapidez do banco em identificar algo errado evitou que mais dinheiro fosse gasto, e o valor foi estornado.

“O banco viu que as compras feitas fugiam do meu perfil, então bloquearam e me notificaram sobre o possível crime. Os criminosos gastaram com o cartão clonado em ‘sex shop’, choperia e até em lojas de informática. Acho que isso acontece porque muitos estabelecimentos não pedem identificação do cliente e isto acaba facilitando o crime”, contou Glória.

Especialistas dão dicas de proteção

A Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) orienta o cidadão a sempre efetuar o “logoff” (desligar)quando terminar de usar uma conta na internet, evitar sites com conteúdo duvidoso, tomar cuidado com e-mails suspeitos, entre outras medidas.
O delegado titular da DRCI, Gilson Perdigão, disse que a pessoa que for vítima desse crime deve procurar uma delegacia imediatamente para fazer a ocorrência.

“O cidadão que se sentir lesado pode procurar a delegacia especializada a qualquer momento, bem como qualquer outra delegacia para registrar o crime”, afirmou o delegado.

Já a advogada Victoria Sulocki, especialista em Direito Penal, diz que outra providência é guardar o boletim de ocorrência por um longo período.

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDLs) também oferece serviço gratuito de registrar documentos extraviados ou furtados a partir de registro da ocorrência na delegacia.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 190 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal