Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

10/05/2013 - D24am Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Mulher é presa por vender documentos falsos do Residencial Viver Melhor

Por: Nathane Dovale

Maria Raimunda Crestude de Souza, de 28 anos, em parceria com uma mulher identificada como Rosangela Costa Oliveira, vendia apartamentos por valores que variavam entre R$ 5 mil e R$ 7 mil.

Manaus – A empregada doméstica Maria Raimunda Crestude de Souza, de 28 anos, foi presa por estelionato na tarde desta sexta-feira (10), pela equipe Delegacia Especializada em Roubos e Furtos (DERF).

Ela é suspeita de emitir documentos falsos de apartamentos no Residencial Viver Melhor, no bairro Santa Etelvina, zona norte, e será encaminhada para Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa.

Segundo o delegado Orlando Amaral, desde segunda-feira (6), 15 pessoas registraram queixas na DERF. Ele informou que Maria agia em parceria com uma mulher identificada como Rosangela Costa Oliveira, que ainda está desaparecida.

“O valor do documento variava entre R$ 5 mil e R$ 7 mil, conforme as denúncias, mas a Maria declarou que recebia R$ 700 por cada casa vendida, além de um apartamento no Viver Melhor”, disse Amaral. “Ela foi presa quando caminhava pelo Centro, mas tinha um Fiat Uno, onde tratava com as pessoas que compravam os documentos”.

Na delegacia, Maria se defendeu, disse que apenas trabalhava como empregada doméstica de Rosangela há quatro meses e só recebia um salário mínimo pelo serviço.

“Não sabia que estava fazendo algo ilegal, só queria ajudar o próximo. Fiquei impressionada quando Rosangela disse que ia me dar uma casa”, afirmou. “Há cinco dias que não falo com ela”.

A vendedora ambulante que se identificou como Socorro disse que comprou de Maria um documento no valor de R$ 5 mil e só descobriu que foi enganada quando apresentou o mesmo para os funcionários da Superintendência de Habitação (Suhab).

Olívia Silva também denunciou a dupla. Ela comprou o documento por R$ 7 mil e recebeu a chave em encontro numa loja da Torquato Tapajós há três semanas.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 716 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal