Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

21/04/2013 - Correio do Estado Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Tabeliães do Estado reforçam medida contra organizações criminosas

Por: Celso Bejarano


Tabeliães de Notas e oficiais de Registro, debateram ontem, em Campo Grande, medida imposta este ano pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para combater crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.Desde janeiro, os cartórios são obrigados a emitirem os dados que registraram como testamentos, inventários, escrituras de imóveis e procurações públicas.
Essas informações são conduzidas até a Central Notarial de Serviços Eletrônicos Compartilhados (Censec), sigla administrada pelo Colégio Notarial do Brasil - Conselho Federal (CNB-CF).

A partir daí, os atos notariais viram instrumentos de investigações tocadas por órgãos como Polícia Federal Ministério Público Estadual, Federal, do Trabalho e o Poder Judiciário.
O primeiro simpósio que tratou do assunto em Mato Grosso do Sul foi conduzido pelo presidente nacional do CNB, Ubiratan Guimarães e o presidente regional do colégio, Fábio Zonta.“Ao menos 50% dos cartórios do Estado já prestam informações ao Colégio Notarial”, disse Zonta.

Já Guimarães deu um exemplo da importância da medida determinada pelo CNJ.
“Imagine alguém que aqui [em Campo Grande] compre um imóvel valioso, mas registra a área em nome de um laranja. Depois, esse comprador segue até um cartório de Aripuanã [cidade de Mato Grosso] e pega uma procuração autorizando ele a negociar o imóvel. A manobra agora pode ser descoberta com facilidade pelas autoridades que combatem a corrupção”, disse o presidente do Colégio Notarial. Além de contribuir com os investigadores, as informações registradas nos cartórios devem ser usadas em programas de política pública dos governos. “Com os dados disponível dá para sabermos, por exemplo, a viabilidade .

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 121 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal