Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

11/04/2013 - TN Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Esquema ‘lavava’ dinheiro da pirataria com imóveis

Além de três policiais, outras 21 pessoas foram detidas durante a operação.

O esquema de falsificação e pirataria, desbaratado pelo Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco) em Apucarana na terça-feira (9), utilizava cheques como "moeda corrente". Durante as diligências, os promotores apreenderam mais de R$ 2 milhões em cheques em uma só empresa. Um dos empresários detidos tinha em seu nome mais de 40 imóveis. Outro havia acabado de comprar uma fazenda no valor de R$ 10 milhões. "Os cheques só eram depositados em transações de terceiros. Nunca para pagar algo relacionado às empresas usadas no esquema. É por isso que as atividades operacionais do esquema ficavam escondidas", argumentou.

Em outra fábrica, a abordagem foi feita no momento em que inúmeros cheques chegavam da Bahia por meio do Sedex dos Correios. "Era um movimento paralelo, colocado em prática pelos falsificadores, que conseguia esconder todo o esquema. Eles lavavam dinheiro através dos cheques", destacou o delegado da Receita Federal em Londrina, Luiz Fernando da Silva Costa.

Os empresários são acusados de sonegar diversos impostos com o esquema de falsificação. A Receita Federal ainda vai avaliar o dano causado aos cofres públicos através do não recolhimento de diversos tributos, como o PIS/Cofins e o Imposto de Renda.

Propina

Os empresários também são acusados de pagar propina a policiais civis de Apucarana. Dois investigadores e o então delegado-chefe da cidade, Valdir Abrahão, foram detidos por suspeita de acobertar e proteger o esquema em troca da vantagem indevida. S

Além do trio, outras 21 pessoas foram detidas durante a operação. Os policiais foram encaminhados para Curitiba. Os demais estão presos na unidade dois da Penitenciária Estadual de Londrina (PEL 2) e um policial militar da reserva está recolhido ao 10º BPM.

Todos são acusados de formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, sonegação fiscal e corrupção - ativa e passiva.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 122 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal