Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

09/04/2013 - BV News Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Delegado quer identificar possíveis vítimas de consórcio de motos

O delegado informou que as denuncias começaram a surgir na semana passada quando a empresa fechou as portas.

O titular da Delegacia de Defesa do Consumidor (DDCON), Glauber Carneiro Lorenzini, instaurou inquérito Policial para investigar possível crime de estelionato ocorrido em Boa Vista contra clientes de uma empresa de consórcio. Três pessoas registraram Boletim de Ocorrência e relatam prejuízos. Há informações de que 35 pessoas podem ter sido lesadas.

Segundo informações do delegado, a empresa estava operando em Boa Vista, na Avenida Princesa Isabel, no bairro Tancredo Neves, promovendo consórcios de motocicletas, aparentemente de forma irregular, pois há necessidade de autorização do Banco Central e, a empresa não tinha.
Ele informa que as denúncias começaram a surgir desde a semana passada, quando ficou claro que a empresa fechou as portas.

“A intenção é de que as pessoas que contrataram consórcio com essa empresa e se sentiram lesadas, que compareçam na Delegacia para que se tenha um alcance do dano”, disse o delegado.

Glauber Lorenzini explica que as pessoas vinham pagando consórcios de motocicletas e descobriram que a empresa fechou em Boa Vista. Há casos em que a vítima chegou a pagar mais de 20 parcelas.

Foram ouvidas pessoas que trabalhavam na empresa e a informação é de que ela teria quebrado por causa da inadimplência dos clientes. Os proprietários estariam tentando quitar as dívidas e como a empresa foi constituída de forma irregular, pode caracterizar o estelionato.

A média das prestações dos consócios, segundo o delegado era em torno de R$ 200,00. O prejuízo calculado em dinheiro até o momento é de aproximadamente R$ 175 mil, conforme declarações colhidas de funcionários da empresa.

“Solicito às pessoas que se sentiram prejudicados para procurarem a Delegacia de Defesa do Consumidor e registrem o Boletim de Ocorrência, munidas de seus documentos pessoais e dos documentos referentes ao contrato com a empresa, para que possamos incluir na investigação já em andamento”, disse.

O delegado orientou que na página Oficial do Banco Central do Brasil existe a relação das empresas de consórcios que são autorizadas a funcionar no Brasil. Disse que há planilha do Excel que pode fazer download e as pessoas podem utilizar os dados, antes de fazer qualquer negociação, evitando assim que sejam vítimas de estelionato.

“A Polícia Civil vai cuidar da investigação criminal. A recomendação é de que as pessoas procurem ressarcimento financeiro na esfera Cível”, disse.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 118 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal