Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

03/04/2013 - O Estado de Minas / AFP Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Sequestro recorde de bens da máfia siciliana


A polícia italiana anunciou nesta quarta-feira o sequestro definitivo e recorde de bens da máfia siciliana no valor de 1,3 bilhão de euros (1,7 bilhão de dólares) de um empresário do setor de energia renovável.

Este é um dos maiores golpes infligidos na "Cosa Nostra" e, em particular, nos seus esforços para lavar dinheiro, de acordo com o Departamento de Investigação Anti-Máfia (DIA).

As autoridades italianas confiscaram de Vito Nicastri, de 57 anos, conhecido como "Senhor dos ventos", um total de 43 empresas e ações em sociedades, 98 propriedades (imóveis, terrenos), 7 veículos e 66 contas bancárias e ativos financeiros no montante de "mais de 1,3 bilhão de euros", indicou o DIA, em um comunicado.

Esses bens, distribuídos por várias regiões da Itália, haviam sido confiscados em setembro de 2010, e a justiça da Sicília confirmou o sequestro definitivo, que agora passam a ser administrados pelo Estado.

Nicastri esteve à frente de uma empresa especializada em produção de energia fotovoltaica e eólica no sul da Itália, um setor novo e em expansão por meio do qual realizava a lavagem de dinheiro das atividades ilegais da máfia.

"É uma atividade com a qual pode-se lavar um monte de dinheiro de forma fácil", indicou Arturo De Felice, chefe da DIA, durante uma coletiva de imprensa em Roma.

Nicastri era considerado um dos homens mais próximos de Matteo Messina Denaro, atualmente chefe da "Cosa Nostra", a temida organização criminosa siciliana.

"Nós atingimos o homem de confiança do capo, a vida está ficando complicada para ele", comentou Felice.

Além disso, o empresário foi condenado a permanecer em prisão domiciliar no município de Alcamo, na Sicília, por três anos, segundo o comunicado da DIA.

Os bens apreendidos permanecerão nas mãos do Estado italiano, que por vários anos adotou leis específicas para esses casos.

"Um administrador judicial será nomeado e os benefícios serão entregues ao Estado", explicou o funcionário, indicando que entre os principais beneficiários estão as forças de segurança, que geralmente usam os veículos e as casas apreendidas na luta contra a máfia.

Desde sua criação em 1991, a DIA prendeu um total 10.107 pessoas, capturou 160 fugitivos, apreendeu bens no valor de 1,5 bilhão de euros e colocou sob sequestro bens em um valor aproximado de 309 milhões de euros.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 76 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal