Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

30/03/2013 - Bom Dia Sorocaba Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Estelionato on-line

Por: Tiago Oliveira

Procon alerta para golpe praticado por site de compras; órgão da Capital registrou 540 queixas.

Uma enxurrada de reclamações sobre um site de compras chamou recentemente a atenção do Procon. A principal queixa: produtos que foram pagos, mas não foram entregues.

A loja virtual chama Neon Eletro (neoneletro.com.br) e tem deixado no prejuízo centenas de vítimas. Somente no Procon da capital paulista houve registro de 540 reclamações contra a empresa.

A gravidade do caso colocou em alerta o órgão de defesa do consumidor, que alertou as demais unidades do Procon sobre a necessidade de orientar o consumidor a não comprar produtos neste site.

O GOLPE/ Pelo que se pode ver nas redes sociais, o número de vítimas é muito superior à quantidade de registros no Procon. Comunidades foram criadas no Facebook para reunir pessoas que já foram prejudicadas pela Neon Eletro.

As reclamações, sobre os mais variados produtos, têm em comum o fato de que os pedidos não foram entregues.

“Comprei um iPad3 em 19 de dezembro de 2012 e dividi no cartão de crédito em 10x de R$ 89,90. Foi estipulado para mim o prazo de entrega do meu produto em 60 dias úteis onde deveria ter chegado no dia 21/03/2013 e o produto não chegou”, reclamou o internauta Fábio Fernandes.

Um número elevado de clientes prejudicados comprou a TV Sony Bravia, como Rodrigo Bering, morador de Minas Gerais. “Fui vítima também, comprei uma TV da Sony de 40, ontem deu o prazo de 60 dias úteis e não recebi!”, postou em uma comunidade.

PROPAGANDA/ A proliferação de vítimas da Neon Eletro foi potencializada pela propaganda da empresa realizada na TV, em programas como Raul Gil, do SBT, e também em portais da internet.

A página da empresa afirma que a Neon “compõe o grupo de empresas pertencente a NEON DISTRIBUIDORA DE PRODUTOS ELETRÔNICOS LTDA., grupo empreendedor com mais de quatro anos de experiência em vendas operadas na internet”. Diz ainda: “Vendemos para todo Brasil e garantimos a entrega de todos os produtos”. A empresa fica em Jaú, no interior paulista.

CUIDADOS/ Um olhar mais atento no site da Neon Eletro mostra detalhes que indicam que se trata de um caso de estelionato. São informações que se fossem verificadas antes pelos clientes poderiam evitar que o golpe fosse aplicado.

A diretora do Procon de Santo André, Heleni de Paiva, dá a dica que vale para qualquer loja virtual. “A primeira recomendação é olhar se tem todas as informações sobre o site. Telefone, endereço, e o mais importante, CNPJ da empresa”.

Dito e feito. No site da Neon Eletro não há telefone para contato, muito menos endereço da loja. A única forma de contato é um e-mail.

Outra dica é pesquisar o CNPJ informado pela empresa. “Pega o CNPJ, procura na Receita Federal e clica em pessoa jurídica para ver se existe”, recomenda Heleni de Paiva. Em alguns casos, como da Neon Eletro, esta informação não é disponibilizada - mais um sinal de que algo está errado.

MP/ Os claros indícios de estelionato levaram a Proteste Associação de Consumidores a denunciar a Neon Eletro ao Ministério Público.

“A prática da loja virtual fere direitos básicos dos consumidores ao vender sem entregar os produtos. As vítimas são atraídas por preços vantajosos, abaixo da média do mercado e depois enfrentam desgaste e transtornos”, diz a associação.

Lista negra do Procon deve ser consultada

A Fundação Procon de São Paulo disponibiliza uma lista com cerca de 200 sites que devem ser evitados por consumidores que pretendem fazer compra virtual.

A Neon Eletro passou a integrar a lista recentemente, no dia 19 de março.

O endereço é www.procon.sp.gov.br/pdf/acs–sitesnaorecomendados.pdf

200

sites integram a lista do Procon de lojas virtuais não-recomendadas

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 212 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal