Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

26/03/2013 - Band Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Saúde: auditoria apura fraudes com próteses

Ministério da Saúde identifica excesso de procedimentos nas áreas de cardiologia e traumato-ortopedia pagos pelo SUS.

O Ministério da Saúde abriu uma auditoria na última segunda-feira para investigar um suposto uso excessivo de próteses em um hospital público e em 19 unidades privadas, conveniadas ao SUS (Sistema Único de Saúde). A suspeita recai sobre procedimentos de traumato-ortopedia, usado para pacientes amputados, e exames de cardiologia, como angioplastia coronariana, por exemplo.

Nos hospitais públicos, o parâmetro de pedidos de atendimento considerado normal é de 20%. A apuração preliminar, no entanto, revelou que nas 20 unidades de saúde suspeitas entre 54% e 99% das cirurgias teriam sido feitas com implantação de próteses. Houve ainda a identificação de procedimentos em sequência. O caso mais comum foram cirurgias de coração em hospitais gerais, que não têm a cardiologia como única especialidade.

Todas os equipamentos comprados precisam de certificação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que permite o monitoramento durante toda a vida do paciente. Há, porém, indícios de pagamento de próteses com preços até 100% acima do valor de mercado e uma suposta cartelização dos produtos.

Somente no ano passado, o governo liberou R$ 1 bilhão para compra de material, cirurgia, internações e implantação de próteses. O prazo para a conclusão das investigações é de 60 dias.

O Ministério da Saúde exigirá a comprovação de todos os exames. Para ter acesso às próteses, os médicos precisam informar no prontuário do paciente o número de série do equipamento, além de anexar as radiografias feitas durante o período de pré-operatório. Caso a fraude seja comprovada, o governo pedirá ressarcimento dos valores pagos indevidamente.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 79 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal