Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

22/03/2013 - Revista Consultor Jurídico Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Justiça aponta nova fraude societária no Playcenter

Por: Pedro Canário


A Justiça de São Paulo determinou, mais uma vez, a desconsideração da personalidade jurídica de uma administradora do antigo parque de diversões Playcenter. Desta vez, a decisão, da juíza Lígia Maria Tegão Nave, da 6ª Vara Cível de São Paulo, desconsiderou uma das administradoras do parque para que a execução de uma sentença por danos morais atinja os sócios. Agora, os executados são Marcelo Gutglas, sócio fundador, e a Cemapart Participações.

O caso é o de uma mulher, representada pelo advogado Ricardo Amin Abrahão Nacle, que ganhou uma ação por danos morais contra o Playcenter. Terminado o processo, já na fase do cumprimento da sentença, foi constatado que a empresa apontada como representante do parque, a CDMA Participações, não tinha bens para ser penhorados.

A CDMA foi, então, desconsiderada, para que fosse possível atingir os bens da empresa PMPSV, uma das controladoras. O Tribunal de Justiça de São Paulo afirmou haver fraude societária na administração do Playcenter, já que foi possível constatar que a verdadeira controladora era a PMPSV, e não a CDMA — que estava listada no processo.

Já na segunda fase da execução, porém, foi constatado que a PMPSV também não tinha bens para oferecer a penhora. A juíza Lígia Nave entendeu que há “abuso de personalidade por parte da executada e o intuito de prejudicar credores”.

Determinou, então, a inclusão de Marcelo Gutglas e da Cemapart no polo passivo, autorizando a pesquisa de ativos financeiros por meio do BacenJud, sistema de penhora online de conta bancária. Também é autorizado o bloqueio dos ativos encontrados, até o limite de R$ 11 mil, que é o que ainda falta ser pago.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 148 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal